Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,75% (20/03/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,64% (04/Abril/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,16% (16/Abril/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,07% (22/03/2024) | IGP-M -0,47% (27/03/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,73% (22/Mar/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,24% (25/Mar/2024) | INCC-DI +0,28% (05/04/2024) | IVAR 1,06% (04/04/2024) |

Mercado imobiliário em 2024: queda de juros e estabilização da demanda apontam para um ano favorável

Compartilhar a notícia

Foto por Mauro Lima 

Seja pelo sonho da casa própria ou com o objetivo de investimento, a compra de um imóvel figura entre os principais objetivos financeiros dos brasileiros. E em 2024, esse mercado pode ser ainda mais favorável.

Isso porque, com a continuidade dos cortes na taxa básica de juros, a Selic, e a estabilização da demanda no mercado imobiliário, os custos de financiamento imobiliário devem cair, tornando a compra de um imóvel mais acessível.

De acordo com o Boletim Focus, a expectativa é de que a Selic encerre 2024 em 9,0% ao ano, uma queda de 2,75 pontos porcentuais dos atuais 11,75% ao ano. Isso significa que o custo de um financiamento imobiliário de R$ 500 mil, por exemplo, passaria de R$ 3.375,00 por mês para R$ 2.500,00 por mês, com uma redução de R$ 875,00.

Além disso, a demanda no mercado imobiliário está se estabilizando. Em 2023, o mercado imobiliário brasileiro registrou um crescimento de 23,5% nas vendas de novos imóveis em comparação com o mesmo período do ano anterior. No entanto, esse crescimento deve desacelerar em 2024, com uma expectativa de crescimento de 5%.

Essa estabilização da demanda é positiva para o mercado, pois evita que a oferta de imóveis supere a demanda, o que pode levar a uma queda nos preços.

Com a queda de juros e a estabilização da demanda, o mercado imobiliário brasileiro deve crescer em 2024. No entanto, é importante ressaltar que esse crescimento será mais moderado do que o observado em 2023.

Investimento em imóveis de alto padrão

O mercado de imóveis de alto padrão também deve ser beneficiado pela queda de juros. Isso porque, nesses imóveis, a demanda é menos sensível a mudanças na taxa de juros.

Além disso, o mercado de imóveis de alto padrão está se recuperando da pandemia. Em 2023, o segmento registrou um crescimento de 17% nas vendas.

Para Lucas Melo, diretor executivo da MBRAS, boutique imobiliária de alto padrão, 2024 pode ser um “ano dourado” para o mercado de imóveis de alto padrão.

“A escassez de imóveis em localizações premium, um desafio principalmente em grandes metrópoles brasileiras, adiciona uma camada de complexidade ao mercado. A limitação de espaço e a demanda elevada nessas áreas geram um ambiente de alta competitividade e preços em ascensão”, explica.

“Com a expectativa de liberação da demanda reprimida e a crescente inovação nas áreas urbanas mais valorizadas, 2024 se apresenta como um ano-chave para o crescimento e revitalização do mercado imobiliário.”

Fonte: O Estado de S.Paulo

___

Fique bem informado sobre o mercado imobiliário através do canal do Portal VGV no WhatsApp. Siga já e receba nosso conteúdo em primeira mão: https://whatsapp.com/channel/0029Va8dBp9LI8YX1F7tpl22

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Foto por Pedro Ribeiro Segundo o Índice FipeZap, os preços de locação residencial no Brasil tiveram um aumento significativo de ...
O mercado imobiliário de São Paulo apresentou quase 16 mil transações de compra e venda de imóveis em Janeiro deste ...
Veja todas as regras do FGTS futuro e saiba os detalhes de como ele funciona nos financiamentos imobiliários ...
O estudo indica que o faturamento deflacionado das indústrias de materiais de construção apresentou crescimento de 2,8% no acumulado até ...
Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por ...
Foto por Davi Costa No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional ...
Ao mesmo tempo em que vive um bom momento de vendas, setor imobiliário precisa lidar com um entrave: a falta ...
O Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é um dos ...
Foto por Leohoho O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) registrou um aumento de 1,06% em março de 2024, ...
Foto por Alex Caceres O mercado imobiliário brasileiro continua a apresentar sinais de dinamismo, com o Índice FipeZAP registrando um ...

Banca VGV