Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,50% (08/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,74% (05/Junho/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,38% (21/Maio/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,25% (28/Maio/2024) | IGP-M 0,31% (29/04/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +1,11% (28/Maio/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,59% (27/Mai/2024) | INCC-DI +0,86% (07/Junho/2024) | IVAR +0,21% (06/Junho/2024) |

Aluguel residencial sobe 1,38%, segundo Índice FipeZAP

Compartilhar a notícia

Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba

Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba

Tomando como base o comportamento dos preços de locação residencial em 25 cidades brasileiras *, o Índice FipeZAP registrou alta de 1,38% no aluguel residencial em abril, voltando a registrar aceleração em relação ao período precedente (+1,16%). De acordo com a apuração, imóveis que possuíam quatro ou mais dormitórios registraram a elevação mais expressiva no período de referência (+2,23%), contrastando com o incremento relativamente menor entre unidades com três dormitórios (+1,02%). Em relação a outros índices de preço, o comportamento mensal do Índice FipeZAP de Locação Residencial se manteve acima das variações mensais do IPCA/IBGE (+0,38%) e do IGP-M/FGV (+0,31%). No âmbito geográfico, 24 das 25 localidades que integram o índice apresentaram valorização mensal do aluguel, incluindo todas as 11 capitais monitoradas, onde as variações de preço foram as seguintes: Fortaleza (+2,27%); Brasília (+2,18%); Florianópolis (+2,08%); Salvador (+2,03%); Curitiba (+2,00%); Belo Horizonte (+1,77%); Recife (+1,58%); Porto Alegre (+1,29%); São Paulo (+1,04%); Rio de Janeiro (+0,88%); e Goiânia (+0,86%).

Aluguel residencial - FipeZap

Balanço parcial do aluguel residencial em 2024

Considerando os resultados até abril/2024, o Índice FipeZAP revela uma alta acumulada de 5,18% no aluguel residencial no ano, resultado que também supera as variações do IPCA/IBGE (+1,80%) e do IGP-M/FGV (-0,60%). Em termos de abrangência geográfica, a alta nominal no valor do aluguel no balanço
parcial do ano contemplou 25 localidades que integram o índice, incluindo todas as 11 capitais monitoradas: Brasília (+10,23%); Salvador (+8,62%); Curitiba (+7,62%); Florianópolis (+6,66%); Recife (+6,07%); Belo Horizonte (+4,91%); Rio de Janeiro (+4,42%); Goiânia (+4,04%); Porto Alegre (+4,03%); São Paulo (+3,95%); e Fortaleza (+3,90%).

Análise do preço pedido pelo aluguel residencial nos últimos 12 meses

Incorporando os resultados mais recentes no cálculo, o Índice FipeZAP de Locação Residencial passou a acumular uma valorização de 14,84% nos últimos 12 meses. Comparativamente, o comportamento do índice nesse recorte temporal se manteve acima das variações acumuladas pelo IPCA/IBGE (+3,69%) e pelo IGP-M/FGV (-3,04%). Imóveis com um dormitório se valorizaram bem acima da média nesse intervalo (+18,21%), contrastando com o aumento relativamente menor entre unidades com três ou mais dormitórios (+13,45%). Em termos de abrangência geográfica, todas as 25 cidades que integram a cesta do índice registraram valorização do aluguel nos últimos 12 meses, incluindo as 11 capitais já mencionadas: Curitiba (+20,98%); Goiânia (+20,20%); Brasília (+19,29%); Florianópolis (+16,07%); Recife (+15,54%); Porto Alegre (+15,46%); Rio de Janeiro (+14,81%); Salvador (+14,35%); Fortaleza (+13,95%); Belo Horizonte (+13,19%); e São Paulo (+12,59%).

Preço médio de locação para o aluguel residencial

Com base em dados de 25 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP de Locação Residencial em abril de 2024, o preço médio do aluguel de imóveis residenciais foi calculado em R$ 44,74/m². Os maiores valores médios foram observados no aluguel de imóveis de um dormitório (R$ 58,50/m²) e os
menores, entre unidades com três dormitórios (R$ 39,01/m²). Comparando-se os resultados apurados nas 11 capitais, a cidade de São Paulo (SP) apresentou o preço médio mais elevado (R$ 53,69/m²). Em seguida, destacaram-se as localidades: Florianópolis (R$ 53,12/m²); Recife (R$ 50,18/m²), Rio de Janeiro (R$ 47,20/m²); Brasília (R$ 45,03/m²); Curitiba (R$ 39,07/m²); Belo Horizonte (R$ 38,45/m²); Goiânia (R$ 37,69/m²); Salvador (R$ 36,10/m²); Porto Alegre (R$ 32,94/m²); e Fortaleza (R$ 29,55/m²).

Rentabilidade do aluguel residencial

A razão entre o preço médio de locação e o preço médio de venda dos imóveis é uma medida de rentabilidade (rental yield) para o investidor que opta em adquirir o imóvel com a finalidade de obter renda com o aluguel residencial. Com base em dados de abril de 2024, o retorno médio do aluguel
residencial foi avaliado em 5,86% ao ano. Apesar da trajetória ascendente, a taxa apurada se manteve ligeiramente abaixo à rentabilidade média projetada para aplicações financeiras de referência nos próximos 12 meses. Em termos comparativos, a rentabilidade projetada do aluguel residencial foi relativamente maior entre imóveis com apenas um dormitório (6,57% a.a.), contrastando com o menor percentual entre unidades com quatro ou mais dormitórios (4,56% a.a.). Individualmente, destacaram-se as taxas anualizadas nas seguintes capitais: Recife (7,45% a.a.); Salvador (6,78% a.a.); Goiânia (5,98% a.a.); São Paulo (5,93% a.a.); e Brasília (5,92% a.a.).

Como receber notícias sobre o mercado imobiliário

Para receber notícias sobre o mercado imobiliário e ficar sempre bem informado, assine gratuitamente o Boletim FOCO VGV. Quinzenalmente enviaremos ao seu e-mail as principais notícias do setor, além de dados e índices como este acima. Aproveite e se inscreva também no principal canal sobre o mercado imobiliário do YouTube.

Nota (*): os preços considerados se referem a anúncios para novos aluguéis. O Índice FipeZAP de Locação Residencial não incorpora em seu cálculo a correção dos aluguéis vigentes, cujos valores são reajustados periodicamente de acordo com o especificado em contrato. Como resultado, o índice capta de forma mais dinâmica a evolução da oferta e da demanda por moradia ao longo do tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) de maio de 2024 registrou variação de 0,21%, representando uma desaceleração em relação à ...
Entre as capitais, maiores altas dos preços dos imóveis residenciais ocorreram em Curitiba, Goiânia, Maceió, Salvador e ...
Valorização do valor do aluguel comercial também abrangeu preços de venda, que apresentaram a maior variação desde ...
Em comparação a igual período em 2023, o INCC-M de maio 2024 registrou grande descompressão, pois a taxa anualizada em ...
Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba ...
O IPCA de Abril de 2024 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 0,38% e ficou 0,22 ponto percentual ...
O Comitê de Política Monetária do Banco Central - COPOM - decidiu nesta quarta-feira (8 de Maio) amenizar o ritmo ...
Índice que monitora o preço do aluguel residencial, medido pelo IBRE da Fundação Getúlio Vargas, mostrou incremento significativo em Abril. ...
Com discreta aceleração, o último relatório do Índice FipeZAP mostrou que o preço médio de venda de imóveis residenciais subiu ...
Foto por Charles de Luvio No cenário do mercado imobiliário, a observação atenta dos indicadores econômicos é crucial para entender ...

Banca VGV