Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,50% (08/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,66% (07/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,38% (21/Maio/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,25% (28/Maio/2024) | IGP-M 0,31% (29/04/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +1,11% (28/Maio/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,59% (27/Mai/2024) | INCC-DI +0,52% (08/Maio/2024) | IVAR +1,40% (07/Maio/2024) |

Setor imobiliário na Bolsa de Valores em destaque

Compartilhar a notícia

Bons ventos sopram a favor do setor imobiliário na Bolsa de Valores. Confira a análise do Portal VGV.
Investimento Imobiliário

Bons ventos sopram a favor do setor imobiliário, que tem se destacado na Bolsa de Valores B3. Confira a análise do Portal VGV.

O setor imobiliário geralmente é um dos mais importantes para a economia de um país. No Brasil, um país com dimensões continentais e população que passa dos 214 milhões de habitantes, essa máxima é ainda mais potencializada. Toda a cadeia que gira em torno do imóvel gera uma relevante contribuição para o nosso PIB. Com isso, é natural que o setor tivesse uma presença marcante no mercado de capitais.

Incorporadoras, construtoras, imobiliárias e empresas de propriedades fazem parte de empresas listadas e compõem, inclusive, um índice próprio do setor (Índice IMOB). Além disso, fundos de investimento imobiliário (chamados de FII) também negociados via Bolsa de Valores ajudam a democratizar o investimento imobiliário, além de dar mais liquidez, transparência e segurança (inclusive, os principais FIIS também compõem um índice próprio que atende pela sigla de IFIX).

Apesar de toda esta exposição, nem sempre o mercado imobiliário e o mercado financeiro andam de mãos dadas e concordam em tudo. Muitas vezes a dinâmica de um vai na contramão do outro, sendo o caso mais notório o fato de que o setor imobiliário vive de ciclos mais longos (não é raro projetos demorarem muitos anos para terem o retorno esperado) enquanto o mercado financeiro vive de divulgações frequentes de resultados, fazendo com o que o setor frequentemente reporte “prejuízos” – o que, aos olhos do investidor pode ser um motivador para evitar se posicionar neste mercado – sendo que nem sempre podem ser caracterizados como prejuízos, mas sim uma fase de um ciclo longo que ainda terá o seu retorno (ou, na linguagem do mercado financeiro, o seu “payback”).

Por outro lado, existem momentos onde determinados fatores favorecem o mercado imobiliário, gerando ótimas expectativas para o setor, e isso movimenta sobremaneira as companhias imobiliárias listadas em Bolsa. É exatamente o que está acontecendo agora: uma somatória de acontecimentos têm contribuído para a valorização dos ativos imobiliários negociados em bolsa.

O que está acontecendo com o setor imobiliário na Bolsa de Valores?

São diversos os fatores que estão contribuindo para o bom momento do setor imobiliário na Bolsa de Valores. Isso vai desde fatores mais macroeconômicos, que envolvem inclusive a situação econômica de grandes economias mundo afora, até fatores domésticos, que envolvem a nossa economia aqui no Brasil.

Dentre estes fatores, um dos mais notórios é a proximidade do início do ciclo de cortes da Selic, taxa básica de juros da nossa economia. Depois de um longo período em alta – e com a inflação aparentemente sob controle – existe a grande expectativa de que já em Agosto o Comitê de Política Monetária do Banco Central reduza a Selic, o que favorece diretamente o setor imobiliário que é dependente de crédito. Com crédito mais barato, a expectativa é que se abra uma grande janela de novas negociações.

Outro grande fator é o relançamento do programa Minha Casa Minha Vida, além de suas recentes atualizações especialmente no que diz respeito a valor teto dos imóveis enquadrados no programa. Durante os últimos anos o mercado de imóveis econômicos sofreu muito com o aumento abrupto dos custos de construção, fazendo com que muitas empresas desistissem de novos lançamentos neste nicho, gerando uma demanda represada que, ao que tudo indica, está para ser atendida. A expectativa é de um novo boom de vendas.

Por falar em custos de construção, estes não impactaram apenas os imóveis econômicos. Todos os tipos de construção foram impactados nos últimos anos, mexendo de forma sensível com os resultados das principais incorporadoras e construtoras que tiveram suas margens espremidas por um favor dificílimo de controlar. Agora, com os cenário de custos sob controle e mais previsível (o INCC, inclusive, chegou a apresentar deflação em alguns períodos), a expectativa é que os resultados das empresas seja bem mais favorável.

Todos estes fatores complexos como juros altos, custos elevados, crédito mais caro e poucos lançamentos no segmento econômico que fizeram o mercado imobiliário andar em compasso de espera no passado acabaram contribuindo para a desvalorização dos ativos imobiliários na bolsa nos últimos anos. Agora, com as expectativas favoráveis, além da “correção” do valor de mercado está também a alta expectativa com o setor que deve passar por um novo boom, fazendo com que a valorização seja tão evidente.

O que é o Índice IMOB?

O Índice IMOB é uma carteira teórica de ativos negociado na Bolsa de Valores B3. O índice tem o objetivo de ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de maior negociabilidade e representatividade dos setores da atividade imobiliária compreendidos por exploração de imóveis e construção civil.

Valorização do IMOB de janeiro de 2023 até 23 de Julho de 2023 coloca setor imobiliário na Bolsa de Valores em destaque

Valorização do IMOB de janeiro de 2023 até 23 de Julho de 2023. Imagem: Google

Qual a composição do IMOB?

O IMOB é composto pelos seguintes ativos:

Composição do IMOB em 24 de Julho de 2023. Fonte: B3

O que é o Índice IFIX?

O IFIX é uma carteira teórica de ativos negociados na Bolsa de Valores B3. O objetivo do IFIX é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos fundos imobiliários mais negociados nos mercados de bolsa e de balcão organizado da B3.

Valorização do IFIX de janeiro de 2023 até 23 de Julho de 2023

Valorização do IFIX de janeiro de 2023 até 23 de Julho de 2023

Como investir no mercado imobiliário com mais segurança e rentabilidade?

O mercado imobiliário apresenta uma dinâmica própria que nem sempre é de fácil compreensão. Um dos principais erros cometidos por investidores inexperientes neste mercado é achar que o setor vive de ciclos curtos e retornos rápidos (isso pode até acontecer, mas é a exceção e não a regra).

Neste sentido, para investir no mercado imobiliário com mais segurança e rentabilidade o ideal é estudar como funciona o setor e nós podemos te ajudar nessa missão! O canal do Portal VGV no YouTube é uma excelente fonte de conhecimento para esta finalidade, pois todos os dias publicamos vídeos explicativos sobre tudo o que está acontecendo no setor, assim como os seus impactos.

Outra dica é assinar gratuitamente o Boletim VGV, nossa newsletter quinzenal com informações sobre o setor imobiliário e apresentação dos principais indicadores diretamente no seu e-mail.

Se você já é mais experiente e deseja ter acesso a materiais mais específicos, uma boa alternativa é consultar a nossa seção Investidores Imobiliários, pois lá tem planilhas, dicas, cursos e muita informação a respeito.

Esperamos que este artigo tenha sido útil para você. Conte sempre com as nossas soluções para se destacar no mercado imobiliário e ser Acima da Média.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Valorização do valor do aluguel comercial também abrangeu preços de venda, que apresentaram a maior variação desde ...
Em comparação a igual período em 2023, o INCC-M de maio 2024 registrou grande descompressão, pois a taxa anualizada em ...
Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba ...
O IPCA de Abril de 2024 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 0,38% e ficou 0,22 ponto percentual ...
O Comitê de Política Monetária do Banco Central - COPOM - decidiu nesta quarta-feira (8 de Maio) amenizar o ritmo ...
Índice que monitora o preço do aluguel residencial, medido pelo IBRE da Fundação Getúlio Vargas, mostrou incremento significativo em Abril. ...
Com discreta aceleração, o último relatório do Índice FipeZAP mostrou que o preço médio de venda de imóveis residenciais subiu ...
Foto por Charles de Luvio No cenário do mercado imobiliário, a observação atenta dos indicadores econômicos é crucial para entender ...
Foto por Scott Blake O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) revelou um panorama interessante para o ...
Foto por All Bong No panorama do mercado imobiliário comercial brasileiro, o último mês de março de 2024 trouxe uma ...

Banca VGV