Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,50% (08/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,66% (07/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,38% (21/Maio/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,25% (28/Maio/2024) | IGP-M 0,31% (29/04/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +1,11% (28/Maio/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,59% (27/Mai/2024) | INCC-DI +0,52% (08/Maio/2024) | IVAR +1,40% (07/Maio/2024) |

Preço dos imóveis residenciais sobe acima da expectativa em 12 meses

Compartilhar a notícia

Preço dos imóveis residenciais sobe acima da expectativa em 12 meses

Valorização imobiliária apurada pelo Índice FipeZAP supera inflação e chega a 5,24% em 12 meses

Com base no comportamento dos preços de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras, o Índice FipeZAP registrou um avanço de 0,54% em outubro de 2023, acelerando em relação ao resultado de setembro (+0,45%).

O incremento mais expressivo se deu entre imóveis com um dormitório (+0,59%), contrastando com a alta relativamente menor no valor de unidades dotadas de quatro ou mais dormitórios (+0,35%).

Comparativamente, o IGP-M/FGV exibiu uma inflação de 0,50% em outubro, enquanto a prévia do IPCA/IBGE, dada pelo IPCA-15/IBGE, destacou uma inflação ao consumidor de 0,21% no período.

Em termos de abrangência geográfica, a alta mensal nos preços residenciais foi observada em 47 das 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP de Venda Residencial, incluindo 15 das 16 capitais que integram essa lista: Porto Alegre (+1,62%); Goiânia (+1,35%); Maceió (+1,31%); João Pessoa (+1,30%); Manaus
(+1,28%); Florianópolis (+0,87%); Curitiba (+0,71%); Belo Horizonte (+0,62%); Campo Grande (+0,51%); Vitória (+0,50%); São Paulo (+0,47%); Brasília (+0,41%); Rio de Janeiro (+0,29%); Recife (+0,16%); e Fortaleza (+0,14%). Em Salvador, por outro lado, os preços residenciais praticamente não se alteraram no último mês (-0,01%).

Balanço parcial de 2023

Com base nos últimos números, divulgados o Índice FipeZAP de Venda Residencial passou a acumular uma alta de 4,43% no balanço parcial de 2023, superando a variação registrada pelo IGP-M/FGV no ano (-4,46%), bem como a inflação ao consumidor, calculada a partir do comportamento observado até setembro e a prévia de outubro do IPCA/IBGE* (+3,72%).

A valorização dos imóveis residenciais entre janeiro e outubro do corrente ano abrangeu todas as localidades monitoradas pelo Índice FipeZAP de Venda Residencial, incluindo as 16 capitais anteriormente mencionadas: Maceió (+14,09%); Goiânia (+11,48%); Florianópolis (+10,95%); Campo Grande (+10,23%); Manaus (+8,11%); João Pessoa (+7,69%); Belo Horizonte (+7,31%); Salvador (+6,34%); Curitiba (+5,24%); Fortaleza (+5,00%); São Paulo (+4,19%); Recife (+3,92%); Porto Alegre (+1,89%); Vitória (+1,67%); Brasília (+1,58%); e Rio de Janeiro (+1,35%).

Análise dos últimos 12 meses:

O Índice FipeZAP acumula uma alta nominal de 5,24% nos últimos 12 meses encerrados em outubro de 2023, superando assim o comportamento do IGP-M/FGV (-4,57%), bem como a variação acumulada pelo IPCA/IBGE* (+4,79%) nesse mesmo intervalo temporal.

A valorização foi mais acentuada, também neste caso, entre imóveis residenciais com um dormitório (+6,40%), contrastando com a alta menos expressiva entre unidades com quatro ou mais dormitórios (+3,92%). Individualmente, 49 das 50 cidades acompanhadas registraram aumentos de preço, incluindo as seguintes capitais: Maceió (+17,64%); Campo Grande (+15,55%); Goiânia (+15,01%); Florianópolis (+12,74%); Manaus (+9,90%); João Pessoa (+8,95%); Belo Horizonte (+7,64%); Curitiba (+7,11%); Recife (+6,91%); Fortaleza (+6,33%); Salvador (+5,77%); Vitória (+5,59%); São Paulo (+4,89%); Porto Alegre (+2,44%); Rio de Janeiro (+1,43%); e Brasília (+0,96%).

Preço médio de venda residencial:

Com base na amostra de anúncios de imóveis residenciais para venda em outubro de 2023, o preço médio calculado para as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP foi de R$ 8.666/m². Imóveis de um dormitório se destacaram pelo preço médio de venda relativamente mais elevado (R$ 10.235/m²), contrastando com o menor valor entre unidades com dois dormitórios (R$ 7.791/m²).

Entre as 16 capitais monitoradas, Vitória (ES) apresentou o valor médio por metro quadrado mais alto na amostra mensal (R$ 10.861/m²) seguida por Florianópolis (R$ 10.658/m²); São Paulo (R$ 10.625/m²); Rio de Janeiro (R$ 9.982/m²); Curitiba (R$ 8.993/m²); e Brasília (R$ 8.926/m²).

Comparativamente, entre as capitais monitoradas com menor preço médio amostral, incluíram-se: Campo Grande (R$ 5.760/m²); João Pessoa (R$ 5.817/m²); Salvador (R$ 5.886/m²); Manaus (R$ 6.321/m²); e Porto Alegre (R$ 6.662/m²).

Fonte: Informe de Outubro de 2023 | Índice Fipezap

——

Se você é proprietário de uma incorporadoraimobiliária ou até mesmo um(a) corretor(a) de imóveis e deseja saber as perspectivas para o mercado imobiliário do Brasil, assine gratuitamente o Boletim VGV e receba direto em seu e-mail as principais notícias e indicadores que impactam o setor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Valorização do valor do aluguel comercial também abrangeu preços de venda, que apresentaram a maior variação desde ...
Em comparação a igual período em 2023, o INCC-M de maio 2024 registrou grande descompressão, pois a taxa anualizada em ...
Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba ...
O IPCA de Abril de 2024 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 0,38% e ficou 0,22 ponto percentual ...
O Comitê de Política Monetária do Banco Central - COPOM - decidiu nesta quarta-feira (8 de Maio) amenizar o ritmo ...
Índice que monitora o preço do aluguel residencial, medido pelo IBRE da Fundação Getúlio Vargas, mostrou incremento significativo em Abril. ...
Com discreta aceleração, o último relatório do Índice FipeZAP mostrou que o preço médio de venda de imóveis residenciais subiu ...
Foto por Charles de Luvio No cenário do mercado imobiliário, a observação atenta dos indicadores econômicos é crucial para entender ...
Foto por Scott Blake O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) revelou um panorama interessante para o ...
Foto por All Bong No panorama do mercado imobiliário comercial brasileiro, o último mês de março de 2024 trouxe uma ...

Banca VGV