Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,75% (20/03/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,64% (04/Abril/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,16% (16/Abril/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,07% (22/03/2024) | IGP-M -0,47% (27/03/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,73% (22/Mar/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,24% (25/Mar/2024) | INCC-DI +0,28% (05/04/2024) | IVAR 1,06% (04/04/2024) |

A força potencial dos investimentos imobiliários – por João Teodoro da Silva

Compartilhar a notícia

A força potencial dos investimentos imobiliários

O dado mais frequentemente utilizado para medir o desempenho econômico de um país é o Produto Interno Bruto (PIB). O PIB representa o conjunto de bens e serviços produzidos pelo país em determinado período, geralmente, por um ano. Por meio do PIB, mede-se o tamanho e a força da economia de um país, bem como a sua classificação em relação à economia mundial. Em 2022, o PIB brasileiro foi de R$ 9,9 trilhões que, divididos por 207,7 milhões de pessoas (IBGE), significa uma renda média anual per capta na ordem de R$ 47.664,90.

Calculado em dólar médio, o PIB brasileiro em 2022 foi de US$2,082 trilhões. O Brasil ficou com a 10ª posição em relação às 15 maiores economias do mundo. A boa notícia é que a Fitch Ratings, agência de classificação de riscos financeiros, elevou a previsão de crescimento do nosso PIB de 2,3% para 3,2%, em 2023. O IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, do Ministério da Economia, mais otimista, revisou para 3,3%. Porém os acontecimentos políticos mais recentes, com repercussão econômica, põem em dúvida essas promissoras estimativas.

Fatos muito perturbadores, como as guerras Rússia x Ucrânia e Israel x Hamas, geram preocupante instabilidade econômica mundial, atingindo principalmente ativos financeiros. Não há como prever a extensão que tais conflitos possam alcançar. Todavia há uma salvaguarda! Segundo a rede de informações Bloomberg, a renitente crise argentina, que atingiu inflação anual de 138,3% em setembro de 2023, vem sendo bravamente superada por Eduardo Elsztain, ex-sócio de George Soros, baseado em resilientes investimentos no setor imobiliário.

Elsztain tem descartado investimentos em ações, títulos de dívida e derivativos, que foram seriamente atingidos pelo calote argentino. Para reafirmar seu posicionamento, sobre a mesa de trabalho do magnata, há uma obra de arte constituída por uma esfera de vidro transparente cheia de cédulas picotados de pesos fora de circulação. A ideia da criação é manter presente na mente das pessoas a fragilidade valorativa do papel-moeda. Em poucos lugares essa realidade é mais palpável do que na Argentina. Sobrepujá-la é uma questão de estratégia.

Essa percepção levou o empresário a fixar-se na ideia de solidez dos investimentos. Segundo ele, a receita é simples: terra, tijolo e argamassa. Pensando assim, construiu um império de shopping centers, terras agrícolas, escritórios físicos e até minas de ouro. A melhor defesa contra a instabilidade são os ativos reais. Assim ele tem se esquivado das profundezas em que a Argentina se afundou nos últimos 20 anos. Elsztain lembra que imprimir moeda para cobrir gastos próprios é um tipo de droga da qual quem a experimenta não se livra facilmente.

A IRSA, empresa imobiliária do investidor, possui nada menos que quinze shoppings na Argentina. O conglomerado continua crescendo, mesmo enquanto a economia do país caminha para sua sexta recessão em uma década, e a inflação alcança quase 140% ao ano. No Brasil, é certo que vivemos alguma insegurança em relação ao sagrado direito de propriedade. Contudo, em quase 134 anos de República, nenhum dirigente de plantão atreveu-se a sugerir sua extinção. Diante de tais incertezas, não há melhor certeza do que o investimento imobiliário!

João Teodoro da Silva

Presidente – Sistema Cofeci-Creci – 22/OUT/2023

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Foto por Pedro Ribeiro Segundo o Índice FipeZap, os preços de locação residencial no Brasil tiveram um aumento significativo de ...
O mercado imobiliário de São Paulo apresentou quase 16 mil transações de compra e venda de imóveis em Janeiro deste ...
Veja todas as regras do FGTS futuro e saiba os detalhes de como ele funciona nos financiamentos imobiliários ...
O estudo indica que o faturamento deflacionado das indústrias de materiais de construção apresentou crescimento de 2,8% no acumulado até ...
Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por ...
Foto por Davi Costa No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional ...
Ao mesmo tempo em que vive um bom momento de vendas, setor imobiliário precisa lidar com um entrave: a falta ...
O Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é um dos ...
Foto por Leohoho O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) registrou um aumento de 1,06% em março de 2024, ...
Foto por Alex Caceres O mercado imobiliário brasileiro continua a apresentar sinais de dinamismo, com o Índice FipeZAP registrando um ...

Banca VGV