Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,75% (20/03/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,64% (04/Abril/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,16% (16/Abril/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,07% (22/03/2024) | IGP-M -0,47% (27/03/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,73% (22/Mar/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,24% (25/Mar/2024) | INCC-DI +0,28% (05/04/2024) | IVAR 1,06% (04/04/2024) |

População “nem-nem” representa desafio econômico e oportunidades para o setor imobiliário

Compartilhar a notícia

A população "nem-nem", composta por jovens de 18 a 24 anos que não estudam nem trabalham, representa um desafio econômico significativo, mas também oportunidades para o setor imobiliário.

Foto por Helena Lopes na Unsplash

A pesquisa destaca que, em 2022, a população “nem-nem” totalizou 10,9 milhões de pessoas, representando um em cada cinco integrantes na faixa etária de 15 a 29 anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre esses jovens, 4,7 milhões não procuraram emprego e não têm interesse em trabalhar, sendo que a maioria é composta por mulheres responsáveis por cuidados domésticos ou familiares.

A CNC, utilizando uma amostragem conservadora de 7,6 milhões, considera que, se essa parcela estivesse ativa no mercado de trabalho, o PIB teria alcançado R$ 10,146 trilhões em 2022, um aumento de 0,46 ponto percentual em relação ao valor obtido.

Felipe Tavares, economista-chefe da CNC, destaca que o impacto considera o salário médio dessas contratações, que foi de R$ 1.919,81 em novembro de 2022 e R$ 2.021,73 no mesmo período em 2023.

A não inserção desses jovens no mercado de trabalho representa não apenas uma perda imediata pela falta de salário e impacto no consumo, mas também um prejuízo mais duradouro, pois a cada ano, perdem força e oportunidades de crescimento.

Segundo a CNC, a cada R$ 1 de aumento na renda média, há um impacto médio de R$ 1,6 milhão no PIB, com variações regionais. Nos estados do Sudeste, esse efeito é mais significativo, atingindo R$ 5,5 milhões, enquanto no Norte é de R$ 400 mil.

Tavares ressalta que as desigualdades regionais tendem a persistir e até piorar ao longo dos anos caso não haja uma mudança estrutural, como investimentos em capacitação e oportunidades.

Outro fator a ser considerado é a nova cultura de trabalho nas novas gerações. Dados do Grupo QuintoAndar indicam que dois em cada cinco trabalhadores procurariam outro emprego se fossem obrigados a trabalhar exclusivamente em formato presencial.

O economista-chefe da CNC destaca a importância da flexibilidade no mercado de trabalho atual, incluindo políticas de dress code mais inclusivas e diversas jornadas de trabalho. Ele enfatiza que oferecer espaço para que os jovens possam encontrar um propósito além do emprego é fundamental, pois as novas gerações buscam mais do que apenas trabalho.

Essas análises destacam a necessidade de uma abordagem mais abrangente por parte do setor imobiliário, especialmente incorporadores, construtores e corretores, para se adaptarem às mudanças no mercado de trabalho e atenderem às expectativas das novas gerações.

O mercado imobiliário pode capitalizar as oportunidades criadas pela população “nem-nem” ao desenvolver projetos que ofereçam maior flexibilidade e promovam um propósito para os jovens. Nesse contexto, incorporadores, construtores e corretores podem proporcionar alternativas como coworking, trabalho remoto ou jornadas de trabalho mais flexíveis.

Além disso, a concepção de empreendimentos com espaços dedicados ao lazer e cultura pode estimular a interação e o networking entre os residentes. Adicionalmente, o apoio a iniciativas de responsabilidade social que reconheçam e valorizem o impacto positivo dos jovens na sociedade também pode ser uma estratégia eficaz.

Perspectivas do Mercado Imobiliário diante da População “Nem-Nem”

A população “nem-nem” representa um desafio econômico significativo, mas também oportunidades para o setor imobiliário. Ao se adaptarem às mudanças no mercado de trabalho e atenderem às expectativas das novas gerações, os incorporadores, construtores e corretores podem criar projetos inovadores e atrativos que contribuam para o desenvolvimento econômico do país.

Com informações da CNN Brasil

___

Fique bem informado sobre o mercado imobiliário através do canal do Portal VGV no WhatsApp. Siga já e receba nosso conteúdo em primeira mão: https://whatsapp.com/channel/0029Va8dBp9LI8YX1F7tpl22

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Foto por Pedro Ribeiro Segundo o Índice FipeZap, os preços de locação residencial no Brasil tiveram um aumento significativo de ...
O mercado imobiliário de São Paulo apresentou quase 16 mil transações de compra e venda de imóveis em Janeiro deste ...
Veja todas as regras do FGTS futuro e saiba os detalhes de como ele funciona nos financiamentos imobiliários ...
O estudo indica que o faturamento deflacionado das indústrias de materiais de construção apresentou crescimento de 2,8% no acumulado até ...
Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por ...
Foto por Davi Costa No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional ...
Ao mesmo tempo em que vive um bom momento de vendas, setor imobiliário precisa lidar com um entrave: a falta ...
O Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é um dos ...
Foto por Leohoho O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) registrou um aumento de 1,06% em março de 2024, ...
Foto por Alex Caceres O mercado imobiliário brasileiro continua a apresentar sinais de dinamismo, com o Índice FipeZAP registrando um ...

Banca VGV