Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,50% (19/Junho/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,61% (05/Julho/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,25% (20/Junho/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,10% (22/Junho/2024) | IGP-M 0,81% (27/06/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +1,11% (26/Junho/2024) | IPCA 0,21% (10/07/2024) | INCC-M +0,93% (22/Junho/2024) | INCC-DI +0,71% (08/Julho/2024) | IVAR +0,61% (05/Julho/2024) |

Minha Casa, Minha Vida: setor de construção prevê crescimento em 2024

Compartilhar a notícia

Programa habitacional do governo brasileiro, Minha Casa, Minha Vida, renova esperanças no setor da construção, revela estudo da FGV Ibre para 2024.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Em meio a um cenário econômico desafiador, o programa governamental Minha Casa, Minha Vida emerge como um impulsionador crucial do otimismo no setor de construção para o ano de 2024, de acordo com uma pesquisa conduzida pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre).

A pesquisa revelou que 53,7% dos empresários entrevistados no setor de construção mantêm expectativas positivas para o ano corrente. Ana Maria Castelo, coordenadora de projetos de construção do FGV Ibre, destaca que as recentes alterações nas regras do programa federal de habitação o colocaram novamente como protagonista, injetando um ânimo palpável na indústria.

O Minha Casa, Minha Vida, que subsidia a compra de imóveis para famílias com renda mensal de até R$ 8.000, oferecendo taxas de juros mais acessíveis do que as do mercado, já foi um dos principais impulsionadores do crescimento dos lançamentos imobiliários no segundo semestre do ano anterior. Ao lado dos descontos promovidos pelas construtoras e da expansão no segmento de alta renda, o programa desempenhou um papel vital nesse ressurgimento.

Segundo a Sondagem da Construção de dezembro, o Minha Casa, Minha Vida “já começou a movimentar o mercado, impulsionando lançamentos e vendas nos últimos meses do ano, apontando uma retomada do ciclo que começava a enfraquecer. Entre as empresas de infraestrutura, há toda uma programação de investimentos que deve contribuir para que a atividade continue a crescer ao longo de 2024”.

O estudo destaca que o subgrupo de obras de montagem, abrangendo estruturas metálicas permanentes e instalações industriais, demonstra o maior otimismo. Dos entrevistados otimistas, 71% vislumbram um panorama positivo para o setor, enquanto 30% preveem um aumento nas receitas em 2024, e 24,3% acreditam na melhoria do cenário macroeconômico.

Apesar do otimismo, as expectativas da construção são ligeiramente inferiores às médias registradas em outros setores. A coordenação de projetos de construção do FGV Ibre, Ana Maria Castelo, atribui esse otimismo moderado à percepção de que a melhoria será gradual ao longo do ano, especialmente considerando a defasagem até o início das obras dos lançamentos.

Contudo, o aumento da demanda por serviços especializados também levanta preocupações sobre a escassez de mão de obra qualificada. Com 53,7% dos entrevistados expressando expectativas positivas, o setor se prepara para um ciclo de crescimento que promete impulsionar o emprego e, consequentemente, a economia.

Entre os 14,7% que adotam uma visão pessimista para 2024, 85% atribuem sua descrença à incerteza ou à falta de confiança na política econômica do governo federal. Esse dado sugere que, embora o Minha Casa, Minha Vida esteja no centro do otimismo, desafios políticos e econômicos ainda pairam sobre o horizonte da construção civil brasileira.

Fonte: Folha de S.Paulo

___

Fique bem informado sobre o mercado imobiliário através do canal do Portal VGV no WhatsApp. Siga já e receba nosso conteúdo em primeira mão: https://whatsapp.com/channel/0029Va8dBp9LI8YX1F7tpl22

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) de junho de 2024 apresentou um aumento de aluguéis residenciais em 0,61%, marcando uma ...
Cidades que lideraram valorização dos preços de locação de imóveis comerciais em maio incluíram Rio de Janeiro, Campinas, Florianópolis e ...
O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) de maio de 2024 registrou variação de 0,21%, representando uma desaceleração em relação à ...
Entre as capitais, maiores altas dos preços dos imóveis residenciais ocorreram em Curitiba, Goiânia, Maceió, Salvador e ...
Valorização do valor do aluguel comercial também abrangeu preços de venda, que apresentaram a maior variação desde ...
Em comparação a igual período em 2023, o INCC-M de maio 2024 registrou grande descompressão, pois a taxa anualizada em ...
Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba ...
O IPCA de Abril de 2024 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 0,38% e ficou 0,22 ponto percentual ...
O Comitê de Política Monetária do Banco Central - COPOM - decidiu nesta quarta-feira (8 de Maio) amenizar o ritmo ...
Índice que monitora o preço do aluguel residencial, medido pelo IBRE da Fundação Getúlio Vargas, mostrou incremento significativo em Abril. ...

Banca VGV

treinamento para

incorporadoras
e construtoras

Nova turma

24 de julho de 2024

São Paulo

PROFISSIONALIZE SEUS LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS E ATINJA A MÁXIMA RENTABILIDADE