Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,75% (20/03/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,64% (04/Abril/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,16% (16/Abril/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,07% (22/03/2024) | IGP-M -0,47% (27/03/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,73% (22/Mar/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,24% (25/Mar/2024) | INCC-DI +0,28% (05/04/2024) | IVAR 1,06% (04/04/2024) |

Minha Casa, Minha Vida: Programa impulsiona setor imobiliário e alavanca índice na Bolsa

Compartilhar a notícia

Minha Casa, Minha Vida: O Programa que Ressurge em 2023, Transformando o Mercado Imobiliário e Liderando a Alta na Bolsa.

No agitado panorama do mercado imobiliário brasileiro, o programa Minha Casa, Minha Vida emergiu como o catalisador surpreendente de mudanças significativas em 2023, deixando sua marca na ascensão vertiginosa das vendas residenciais. Os números reveladores de uma entidade de incorporadoras indicam um aumento notável de 23,5% nos primeiros dez meses do ano passado, impulsionado em grande parte pelo impacto positivo do programa federal.

Dentre os 126.774 empreendimentos comercializados nesse período, impressionantes 70,3% integravam o inovador Minha Casa, Minha Vida, conforme apontado pelo mais recente levantamento do indicador Abrainc-Fipe, obtido com exclusividade pela Folha. Esse fenômeno não apenas amenizou a queda geral nos lançamentos de imóveis no Brasil, que atingiu 7,7%, mas também redefiniu as dinâmicas do mercado imobiliário.

De janeiro a outubro, o volume de unidades comercializadas dentro do programa social subiu impressionantes 27,3%, totalizando 89.126 imóveis. Paralelamente, o volume de lançamentos cresceu 10,7%, marcando uma reviravolta notável no setor. Luiz França, presidente da Abrainc, destaca que o desempenho do Minha Casa, Minha Vida reflete o impacto positivo das medidas implementadas para ampliar o acesso à moradia para as famílias de menor renda.

O Renascimento do Minha Casa, Minha Vida em 2023

O programa, criado em 2009 e posteriormente substituído pelo Casa Verde e Amarela, ressurgiu em meados de 2023 com um novo fôlego. Contando com um teto mais elevado para financiamento, subsídios generosos e juros mais acessíveis, o Minha Casa, Minha Vida não apenas ampliou o número de beneficiários, mas também injetou vitalidade no mercado imobiliário, que se manteve resiliente diante das altas taxas de financiamento habitacional.

Enquanto o programa desencadeava uma transformação no setor habitacional, seu impacto ecoava na Bolsa de Valores, com o Índice Imobiliário registrando um notável avanço de aproximadamente 53% em 2023. Einar Rivero, diretor da Elos Ayta Consultoria, destaca a excepcional performance desse índice, superando o Ibovespa em 20%.

Análises e Perspectivas para 2024

As análises do Itaú BBA revelaram que o fortalecimento do Minha Casa, Minha Vida impulsionou as vendas no segmento de baixa renda, enquanto a boa execução orçamentária do FGTS atuou como pilar essencial para o crédito imobiliário destinado à população de menor poder aquisitivo. Além disso, a estabilidade do INCC e a aceleração do segmento de médio padrão foram destacadas como fatores positivos para o setor.

Ainda que a alta no volume de unidades comercializadas no segmento de médio e alto padrão tenha sido de 12,5%, somando 34.103 imóveis nos dez primeiros meses de 2023, houve uma queda de 39,7% no volume total de lançamentos. No entanto, a Abrainc identifica sinais claros de readequação gradual nos níveis de estoque desse segmento.

Para 2024, as condições animadoras são ressaltadas por especialistas, incluindo Leonardo Mesquita, vice-presidente comercial da Cury. Com 65% dos empreendimentos comercializados pela Cury voltados ao Minha Casa, Minha Vida, a expectativa é de um aumento desse percentual ao longo do ano. Contudo, há alertas sobre a importância da continuidade da queda da taxa Selic para manter o setor imobiliário como protagonista no crescimento econômico e na geração de empregos.

Desafios e Inovações Gerados pelo Programa

O impacto do Minha Casa, Minha Vida vai além dos números e das estatísticas. Incorporadoras de pequeno porte, como a REV³ e a VCA, testemunharam uma transformação em suas estratégias de negócios. A REV³, por exemplo, redirecionou 90% de suas unidades para o programa habitacional, destacando a pulverização benéfica do programa por todo o setor imobiliário, inclusive beneficiando incorporadoras menores.

Jardel Couto, CEO da VCA, ressalta o estímulo do programa federal na criação de novos núcleos urbanísticos e destaca os benefícios sociais e ambientais proporcionados por empreendimentos voltados para o Minha Casa, Minha Vida. Essas mudanças não apenas beneficiam os consumidores, mas também impulsionam a inovação e sustentabilidade no mercado imobiliário.

Em síntese, o renascimento do Minha Casa, Minha Vida em 2023 não só trouxe alívio para a carência habitacional como também remodelou o cenário econômico, estimulando o mercado imobiliário a alcançar novas alturas. O programa não é apenas um impulso para as famílias de baixa renda, mas um agente de transformação no tecido econômico e social do Brasil.

Fonte: O Estado de São Paulo

___

Fique bem informado sobre o mercado imobiliário através do canal do Portal VGV no WhatsApp. Siga já e receba nosso conteúdo em primeira mão: https://whatsapp.com/channel/0029Va8dBp9LI8YX1F7tpl22

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Foto por Pedro Ribeiro Segundo o Índice FipeZap, os preços de locação residencial no Brasil tiveram um aumento significativo de ...
O mercado imobiliário de São Paulo apresentou quase 16 mil transações de compra e venda de imóveis em Janeiro deste ...
Veja todas as regras do FGTS futuro e saiba os detalhes de como ele funciona nos financiamentos imobiliários ...
O estudo indica que o faturamento deflacionado das indústrias de materiais de construção apresentou crescimento de 2,8% no acumulado até ...
Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por ...
Foto por Davi Costa No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional ...
Ao mesmo tempo em que vive um bom momento de vendas, setor imobiliário precisa lidar com um entrave: a falta ...
O Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é um dos ...
Foto por Leohoho O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) registrou um aumento de 1,06% em março de 2024, ...
Foto por Alex Caceres O mercado imobiliário brasileiro continua a apresentar sinais de dinamismo, com o Índice FipeZAP registrando um ...

Banca VGV