Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,75% (20/03/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,64% (04/Abril/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,16% (16/Abril/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,07% (22/03/2024) | IGP-M -0,47% (27/03/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,73% (22/Mar/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,24% (25/Mar/2024) | INCC-DI +0,28% (05/04/2024) | IVAR 1,06% (04/04/2024) |

Balneário Camboriú (SC) lidera ranking das cidades mais caras para comprar imóveis no Brasil em 2023

Compartilhar a notícia

Balneário Camboriú encerra 2023 como a cidade mais cara para se comprar imóveis no Brasil, com o metro quadrado avaliado em R$ 12.624, segundo Índice FipeZAP de Venda Residencial. Santa Catarina se destaca, abrigando três das cinco cidades mais valorizadas do país.

Foto de Merlin Assogba

No cenário imobiliário brasileiro, 2023 encerrou com uma notícia que pode não ser tão animadora para quem procura adquirir um imóvel: Balneário Camboriú, em Santa Catarina, consolidou-se como a cidade mais cara do país para comprar propriedades, com o metro quadrado avaliado em robustos R$ 12.624, de acordo com o Índice FipeZAP de Venda Residencial divulgado pelo DataZAP.

Santa Catarina, aliás, destaca-se como um estado onde o mercado imobiliário parece florescer. Três das cinco cidades mais valorizadas do país estão localizadas lá. Na segunda posição do ranking, temos Itapema, cidade vizinha a Balneário Camboriú, com um metro quadrado avaliado em R$ 12.498, registrando uma expressiva alta de 19,52% no ano, a segunda maior valorização no período.

O terceiro lugar fica com Vitória, no Espírito Santo, que apresenta um metro quadrado avaliado em R$ 10.877. A capital capixaba se destaca como a única não catarinense entre as três primeiras posições.

Outro destaque catarinense fica por conta da maior valorização registrada em 2023, que ocorreu em São José, com um crescimento de 19,63%. Apesar de apresentar um metro quadrado avaliado em R$ 7.116, consideravelmente inferior às cidades mais caras, a tendência de alta sinaliza um cenário promissor para o mercado imobiliário local.

Florianópolis, a capital de Santa Catarina, também não fica para trás, encerrando o ano com o quarto metro quadrado mais caro do Brasil, avaliado em R$ 10.786. A cidade teve um aumento de 12,28% no preço médio do metro quadrado ao longo do ano.

A tabela de preço médio de venda por cidade mostra Balneário Camboriú e Itapema liderando, seguidas por Vitória, Florianópolis e São Paulo. O ranking evidencia a presença predominante de cidades do Sul e Sudeste entre as mais caras para se comprar um imóvel.

Preço Médio De Venda Por Cidade – 5 mais caras

  1. Balneário Camboriú (SC) – R$ 12.624,00
  2. Itapema (SC) – R$ 12.498,00
  3. Vitória (ES) – R$ 10.877,00
  4. Florianópolis (SC) – R$ 10.786,00
  5. São Paulo (SP) – R$ 10.676,00

O Índice FipeZAP de Venda Residencial revela que, em 2023, o preço médio dos imóveis no Brasil teve uma valorização de 4,82%, superando outras referências econômicas como a variação registrada pelo IGP-M/FGV no ano (-3,89%) e a prévia de novembro do IPCA/IBGE (+4,09%).

Os imóveis de um dormitório foram os grandes impulsionadores desses números, apresentando um preço médio de venda mais alto em relação às unidades de dois dormitórios (R$ 10.261/m² contra R$ 7.826/m²). Isso evidencia uma possível mudança de preferência dos compradores por imóveis menores, seja por questões de praticidade ou devido às tendências do mercado.

Em resumo, enquanto o mercado imobiliário continua a se mostrar aquecido, os olhos dos interessados em adquirir propriedades se voltam para Santa Catarina, onde a valorização parece ser a palavra de ordem. O desafio para o futuro será encontrar o equilíbrio entre a demanda crescente e a oferta limitada, mantendo a sustentabilidade desse cenário positivo.

Fonte: Estadão Imóveis

___

Fique bem informado sobre o mercado imobiliário através do canal do Portal VGV no WhatsApp. Siga já e receba nosso conteúdo em primeira mão: https://whatsapp.com/channel/0029Va8dBp9LI8YX1F7tpl22

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Foto por Pedro Ribeiro Segundo o Índice FipeZap, os preços de locação residencial no Brasil tiveram um aumento significativo de ...
O mercado imobiliário de São Paulo apresentou quase 16 mil transações de compra e venda de imóveis em Janeiro deste ...
Veja todas as regras do FGTS futuro e saiba os detalhes de como ele funciona nos financiamentos imobiliários ...
O estudo indica que o faturamento deflacionado das indústrias de materiais de construção apresentou crescimento de 2,8% no acumulado até ...
Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por ...
Foto por Davi Costa No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional ...
Ao mesmo tempo em que vive um bom momento de vendas, setor imobiliário precisa lidar com um entrave: a falta ...
O Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é um dos ...
Foto por Leohoho O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) registrou um aumento de 1,06% em março de 2024, ...
Foto por Alex Caceres O mercado imobiliário brasileiro continua a apresentar sinais de dinamismo, com o Índice FipeZAP registrando um ...

Banca VGV