Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,50% (08/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,66% (07/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,38% (21/Maio/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,02% (23/Abril/2024) | IGP-M 0,31% (29/04/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,63% (23/Abril/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,59% (27/Mai/2024) | INCC-DI +0,52% (08/Maio/2024) | IVAR +1,40% (07/Maio/2024) |

IPCA de março revela desaceleração na inflação, registrando 0,16%

Compartilhar a notícia

Foto por Davi Costa

No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) quanto o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), apresentaram desaceleração em relação aos números de fevereiro, revelando um cenário de moderação nos preços.

De acordo com os dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o IPCA registrou uma variação de 0,16% em março, representando uma queda de 0,67 ponto percentual em comparação com o índice de fevereiro, que foi de 0,83%. No acumulado do ano, o IPCA soma alta de 1,42%, enquanto nos últimos 12 meses a variação é de 3,93%, abaixo dos 4,50% observados anteriormente.

Por sua vez, o INPC, que é voltado para as famílias com rendimento monetário de 01 a 05 salários-mínimos, teve um aumento de 0,19% em março, 0,62 ponto percentual acima do resultado de fevereiro (0,81%). No acumulado do ano, o INPC apresenta alta de 1,58%, e nos últimos 12 meses, de 3,40%, abaixo dos 3,86% registrados anteriormente.

Destaques do IPCA:

No que diz respeito ao IPCA, dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, seis apresentaram alta em março. A maior variação (0,53%) e o maior impacto (0,11 p.p.) vieram do grupo Alimentação e Bebidas, seguido pelo grupo Saúde e Cuidados Pessoais (0,43% e 0,06 p.p.). Destaca-se, por outro lado, a queda de preços no grupo Transportes (-0,33% e -0,07 p.p.).

Em Alimentação e Bebidas, a alimentação no domicílio desacelerou de 1,12% em fevereiro para 0,59% em março, com altas significativas em produtos como cebola (14,34%), tomate (9,85%) e ovos de galinha (4,59%).

No grupo Saúde e Cuidados Pessoais, os destaques foram as altas no plano de saúde (0,77%) e nos produtos farmacêuticos (0,52%), com aumento expressivo nos preços de anti-infecciosos e antibióticos (1,27%).

Principais Variações Regionais:

Em relação aos índices regionais, São Luís registrou a maior variação, com 0,81%, influenciada principalmente pela alta do preço do tomate (23,51%). Porto Alegre foi a única região a registrar queda de preços (-0,13%), com impacto da redução nos preços da batata-inglesa (-18,42%) e da gasolina (-2,41%).

Conclusão:

Os números do IPCA e do INPC em março sinalizam uma desaceleração na inflação, o que pode refletir em um alívio para o bolso do consumidor. No entanto, é importante acompanhar de perto os próximos meses para entender se essa tendência de moderação nos preços se mantém e quais serão os impactos nos diversos setores da economia.

O IPCA e o INPC são indicadores fundamentais para a avaliação da saúde econômica do país e para a formulação de políticas públicas que visem o controle da inflação e o bem-estar da população.

Redação VGV com informações do IBGE

___

Como acompanhar os principais indicadores do mercado imobiliário?

Se você que saber os principais índices do mercado imobiliário, assine gratuitamente o Boletim VGV, nossa newsletter quinzenal com as principais atualizações do setor.

Caso você seja dono de incorporadora e esteja buscando agência de marketing imobiliário para construtoras e incorporadoras, temos soluções específicas para lhe apoiar em seus negócios imobiliários. Fale com nosso time.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Assine GRÁTIS e receba nossos conteúdos em seu e-mail

Últimas publicações

Veja mais

Em comparação a igual período em 2023, o INCC-M de maio 2024 registrou grande descompressão, pois a taxa anualizada em ...
Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba ...
O IPCA de Abril de 2024 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 0,38% e ficou 0,22 ponto percentual ...
O Comitê de Política Monetária do Banco Central - COPOM - decidiu nesta quarta-feira (8 de Maio) amenizar o ritmo ...
Índice que monitora o preço do aluguel residencial, medido pelo IBRE da Fundação Getúlio Vargas, mostrou incremento significativo em Abril. ...
Com discreta aceleração, o último relatório do Índice FipeZAP mostrou que o preço médio de venda de imóveis residenciais subiu ...
Foto por Charles de Luvio No cenário do mercado imobiliário, a observação atenta dos indicadores econômicos é crucial para entender ...
Foto por Scott Blake O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) revelou um panorama interessante para o ...
Foto por All Bong No panorama do mercado imobiliário comercial brasileiro, o último mês de março de 2024 trouxe uma ...
Foto por Amanda Lins O panorama econômico do mercado imobiliário permanece em destaque à medida que os índices econômicos continuam ...

Banca VGV