Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,50% (08/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,66% (07/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,38% (21/Maio/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,25% (28/Maio/2024) | IGP-M 0,31% (29/04/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +1,11% (28/Maio/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,59% (27/Mai/2024) | INCC-DI +0,52% (08/Maio/2024) | IVAR +1,40% (07/Maio/2024) |

Demanda por imóveis em alta e juros em queda: podemos ter um novo boom imobiliário em breve?

Compartilhar a notícia

Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por imóveis alta e juros em queda

Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por imóveis alta e juros em queda

Que o mercado imobiliário brasileiro está passando por um bom momento, isso provavelmente você já sabe. Conforme a gente vem mostrando aqui no Portal VGV, tanto o mercado de venda quanto de locação vêm apresentando alta nos últimos meses.

E agora, mais recentemente, um novo dado – dessa vez divulgado pela Abrainc, que é a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias – em parceria com o instituto Fipe – mostrou que a venda de novos imóveis subiu impressionantes 32,6% no ano de 2023 em comparação com o ano anterior – que já tinha sido muito bom. Isso representa 163.108 novos imóveis que foram colocados no mercado recentemente e já foram vendidos. Veja os detalhes:

Demanda por imóveis em alta e juros em queda: novo boom imobiliário em breve?

Boa parte desse número se refere aos imóveis do programa Minha Casa Minha Vida, que passou por atualizações no ano passado, sendo a principal delas a correção do valor teto dos imóveis. Mas o segmento de médio de alto padrão também segue apresentando ótimos números.

Todos esses dados foram amplamente divulgados na imprensa recentemente e é bem provável inclusive que você já tenha visto, mas eu queria destacar um outro aspecto desta divulgação.

Ao mesmo tempo que a venda de novos imóveis subiu, o volume de novos lançamentos não subiu na mesma proporção. Aliás, ele inclusive diminuiu. Isso acaba fazendo com que a oferta de imóveis seja menor.

Diante de tudo isso, como será que vai ficar o mercado daqui pra frente? É isso que a jornalista Christiane Pelajo foi entender com o Luiz França, presidente da Abrainc. Confira a entrevista no vídeo abaixo, que também contou com a participação de Bruno Lessa, fundador do Portal VGV:

A entrevista acima esclareceu temas como:

* Mesmo com cenário de juros mais altos no ano passado, a venda de novos imóveis surpreendeu e bateu recorde. E agora, que os juros estão caindo, o que a gente pode esperar do mercado imobiliário ainda neste ano na sua visão?

* O relatório da Abrainc mostrou que as vendas de novos imóveis subiram, mas o volume de lançamentos caiu. No caso específico de médio e alto padrão, por exemplo, foi um aumento de 14% nas vendas e uma redução de 38% nos lançamentos, o que reduz a oferta. Tendo em vista que a oferta está menor, você acredita que isso abre uma oportunidade para incorporadoras lançarem novos produtos?

* Agora a sua opinião sobre as perspectivas para os preços dos imóveis… nós divulgamos recentemente aqui que os principais índices que monitoram os preços vêm demonstrando uma elevação nos últimos 12 meses, inclusive superior à inflação. Considerando que temos menos oferta, juros em queda e alta procura, o preço dos imóveis vai subir?

* Falando agora sobre as tendências do consumidor de imóvel… recentemente foi divulgada uma pesquisa mostrando que a intenção de compra de imóvel no Brasil vem se mantendo estável no período pós-pandemia… o relatório mostra que 37% dos brasileiros têm o plano de comprar um imóvel, sendo que, deste número, 70% pretende fazer a compra em um prazo de até 2 anos e 30% pretende fazer a compra no curto prazo, em até 1 ano. A que você atribui um número tão alto? Por que tanto interesse pelo imóvel?

* Já sabemos que tem muita gente querendo comprar e já sabemos que tem muita gente querendo vender… mas e as condições de aquisição? Como você avalia as condições econômicas e principalmente o cenário do crédito para que estas famílias possam fazer a compra deste imóvel?

Bom, o mercado imobiliário segue prometendo e entregando… demanda alta, vendas em alta e, ao que tudo indica, juros em queda facilitando a aquisição. Combinação ideal para termos um novo boom imobiliário em breve.

Se você quer estar bem preparado para surfar esta onda, continue acompanhando os conteúdos do Portal VGV e assine gratuitamente o Boletim Foco VGV. Quinzenalmente nós enviamos direto pro seu e-mail os principais indicadores do setor as principais notícias que têm impacto direto no seu negócio.

Este foi mais um conteúdo do FOCO VGV, nosso bate-papo quinzenal aqui no canal do Portal VGV. Se você não quer perder nenhuma informação importante, aproveita para se inscrever no canal do Portal VGV, o principal canal sobre mercado imobiliário no YouTube, e ativar as notificações, porque tem muita coisa boa vindo por aí. Até a próxima!

Jornalista Christiane Pelajo
Jornalista Christiane Pelajo é a nova apresentadora do Portal VGV

4 respostas

  1. Acho que o cenário é de cautela, os números são bons para novos empreendimentos MCMV, isso significa que o poder aquisitivo dos compradores está dentro de um contexto muito específico. A taxa de juros americanas ainda está alta e não temos previsão de queda próxima, quedas de taxas de juros aqui no Brasil seriam muito arriscadas para uma inflação ainda maior no futuro.
    Vejo que ainda a pior parte, que nenhum portal fala é referente a especulação imobiliária, a gente sabe que ela acontece, que faz parte da profissão, mas ainda temos uma dificuldade muito grande em estabelecer a média de preços perante o poder de compra das pessoas da região.

    Vejo o momento como oportunidade de readequação dos profission@is do setor em serem bons negociadores referente aos valores praticados no mercado, desinflar a especulação vai ajudar a desafogar as vendas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Valorização do valor do aluguel comercial também abrangeu preços de venda, que apresentaram a maior variação desde ...
Em comparação a igual período em 2023, o INCC-M de maio 2024 registrou grande descompressão, pois a taxa anualizada em ...
Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba ...
O IPCA de Abril de 2024 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 0,38% e ficou 0,22 ponto percentual ...
O Comitê de Política Monetária do Banco Central - COPOM - decidiu nesta quarta-feira (8 de Maio) amenizar o ritmo ...
Índice que monitora o preço do aluguel residencial, medido pelo IBRE da Fundação Getúlio Vargas, mostrou incremento significativo em Abril. ...
Com discreta aceleração, o último relatório do Índice FipeZAP mostrou que o preço médio de venda de imóveis residenciais subiu ...
Foto por Charles de Luvio No cenário do mercado imobiliário, a observação atenta dos indicadores econômicos é crucial para entender ...
Foto por Scott Blake O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) revelou um panorama interessante para o ...
Foto por All Bong No panorama do mercado imobiliário comercial brasileiro, o último mês de março de 2024 trouxe uma ...

Banca VGV