Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,75% (20/03/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,64% (04/Abril/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,16% (16/Abril/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,07% (22/03/2024) | IGP-M -0,47% (27/03/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,73% (22/Mar/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,24% (25/Mar/2024) | INCC-DI +0,28% (05/04/2024) | IVAR 1,06% (04/04/2024) |

Mais da metade dos imóveis vendidos no Brasil não contam com corretor ou imobiliária, aponta estudo

Compartilhar a notícia

Você sabia que mais da metade dos imóveis vendidos no Brasil não contam com a assessoria de um corretor de imóveis ou imobiliária? Entenda o risco (e a oportunidade) que isso representa.
Mais da metade dos imóveis vendidos no Brasil não contam com corretor ou imobiliária, aponta estudo

Comprar um imóvel é uma das decisões mais importantes que uma família pode tomar e isso requer muitos cuidados e uma boa preparação. Afinal, devido ao seu alto valor e a toda burocracia envolvida no processo, é compreensível que seja necessário a figura de uma empresa e/ou profissional para lhe assessorar durante esta que pode ser a maior compra que você fará na vida.

Esta afirmação acima, por mais óbvia que possa parecer, infelizmente não representa a realidade do nosso mercado. De acordo com um estudo realizado pela proptech israelense Prodpo a partir de dados públicos e privados, apenas 40% das transações imobiliárias feitas no Brasil contam com a assessoria de um profissional habilitado, ou seja, mais da metade dos imóveis vendidos no Brasil não contam com um corretor de imóveis ou imobiliária.

Apenas para fins de comparação, em mercados mais desenvolvidos esta proporção é bem maior que no Brasil. Conforme reportagem do Estadão, que repercutiu o estudo em questão, nos Estados Unidos cerca de 95% das transações imobiliárias são realizadas com a participação de um corretor de imóveis, segundo dados da Associação Nacional de Corretores (NAR) dos Estados Unidos. Na Europa, as taxas ficam entre 60% e 70%.

Por que o índice de corretores de imóveis nas transações imobiliárias é baixo no Brasil?

As razões são diversas. O principal motivo para não contar com um corretor de imóveis durante uma transação imobiliária geralmente é uma suposta “economia”. Com comissões em torno de 6% do valor do imóvel, muitas pessoas acreditam que excluir a participação do corretor pode representar um “bom negócio”, haja vista que esta porcentagem supostamente pode se tornar um “desconto” fazendo com que o imóvel saia mais barato. Por mais que eventualmente o valor possa ser reduzido (o que nem sempre acontece), isso representa um risco gigantesco, especialmente se o negócio for conduzido por pessoas sem o profundo conhecimento e experiência do setor, conforme explicaremos mais à frente.

Outro motivo para este baixo índice é que muitas vendas até possuem a participação de um corretor, porém documentalmente algumas pessoas têm a cultura de excluir o valor da comissão pela intermediação imobiliária na hora de fazer a documentação do imóvel visando pagar menos impostos, o que é um grande equívoco além de poder configurar ilegalidade em muitos casos.

Vale a pena comprar um imóvel direto do proprietário?

Nem sempre vale a pena. Por mais que a compra de um imóvel direto com o proprietário possa representar um menor valor, ela pode vir recheada de riscos que podem gerar um prejuízo incalculável. 

Imagine a seguinte situação: você encontrou um imóvel bem localizado, a um bom preço e resolveu fazer a aquisição de forma direta. Sem o profundo conhecimento do mercado imobiliário, celebrou um contrato de compra e venda e não sabia dos trâmites cartoriais, acabando com um “contrato de gaveta” que não te dá a mesma segurança jurídica de propriedade, ou seja, você não é dono de fato do imóvel.

Outro exemplo muito comum: você deu um sinal para garantir a compra do imóvel, mas não fez antes uma diligência completa dos documentos do imóvel e dos vendedores, descobrindo só mais à frente que o imóvel não podia ser vendido. Até lá, perdeu tempo, teve expectativas frustradas ou, eventualmente, até perdeu o dinheiro caso não tenha ficado muito bem amarrado no contrato de compra e venda os condicionantes para o negócio.

E, por fim, um exemplo muito simples mas também fato corriqueiro: você acha que está fazendo um “bom negócio” apenas pelo fato de estar comprando direto com o proprietário, porém um bom corretor de imóveis poderia te mostrar diversas outras opções com o preço muito melhor, pois estes profissionais geralmente sabem o quanto de fato vale cada propriedade e o histórico de preços que têm sido transacionadas.

Casos como estes acima acontecem todos os dias e podem colocar em risco a economia de uma vida. Não estou dizendo que a compra direta com o proprietário é sempre insegura, eventualmente podem sim ter segurança, mas o acompanhamento de um profissional ajuda muito a tornar o negócio mais seguro, especialmente para os leigos.

Vale a pena vender um imóvel sem corretor ou imobiliária? 

Nem sempre vale a pena. Por mais que o pagamento de uma comissão possa representar abrir mão de um valor que poderia ser embolsado, vender um imóvel através de um corretor ou imobiliária pode trazer diversas vantagens.

Uma das vantagens de se vender um imóvel com a ajuda de um corretor ou imobiliária é o tempo. Como trabalham todos os dias com clientes interessados em comprar imóveis, além de promoverem a prospecção ativa de potenciais clientes, corretores e imobiliárias tendem a ter muito mais velocidade na conclusão de um negócio. O fator tempo pode ser primordial dependendo dos objetivos de quem colocou este imóvel à venda.

Outra vantagem de se vender imóvel através de um corretor ou imobiliária é a correta precificação. Como conhecem o preço médio das propriedades de uma determinada região e o histórico das transações efetuadas ali, estes profissionais conseguem precificar melhor o imóvel (inclusive ajustando o preço para cima, se houver espaço). Já presenciei um caso no interior do Rio de Janeiro em que o proprietário queria vender um lote por R$ 180.000,00 e a empresa responsável pelas vendas conseguiu convencê-lo de que estava abaixo do valor de mercado, precificando simplesmente pelo DOBRO do preço: R$ 360.000,00. No fim, a imobiliária estava certa, o lote foi vendido pelo melhor preço, com muita velocidade e, inclusive, seguiu valorizando com o tempo. Imagine se este proprietário tivesse feito a venda “direta” imaginando que iria “ganhar mais” ao economizar na comissão…

Risco para compradores e oportunidade para corretores de imóveis

O fato de menos da metade das vendas de imóveis no Brasil contarem com um corretor de imóveis representa um grande risco para compradores e vendedores, porém, acaba representando uma grande oportunidade para os corretores de imóveis e imobiliárias, pois mostra o tamanho do mercado que ainda existe para ser explorado. Basta fazer com que o potencial cliente enxergue a importância de ter um bom corretor de imóveis o acompanhando durante o processo de compra do imóvel. 

Especialmente em um país de dimensões continentais com o Brasil, com um elevado déficit habitacional e com mais de 200 milhões de habitantes, o mercado imobiliário é gigante. Compete ao corretor fazer este papel de mostrar o seu valor para a sociedade, obviamente com o apoio dos conselhos de classe da profissão.

Por que contratar um corretor de imóveis ou imobiliária para comprar ou vender um imóvel?

Em resumo, um bom corretor de imóveis pode ajudar a dar mais segurança, velocidade e auxiliar a fazer um bom negócio. A compra (ou a venda) de um imóvel é algo burocrático que envolve diversos aspectos e um corretor de imóveis pode lhe auxiliar em todas estas etapas. Afinal, para ser corretor de imóveis o profissional precisou estudar itens que envolvem direito imobiliário, noções de engenharia, matemática financeira, técnicas de marketing e vendas, dentre diversos outros itens necessários a uma boa negociação segura e eficaz.

Como se tornar um corretor de imóveis?

Para ser corretor de imóveis é necessário cumprir algumas etapas. Como a profissão de Corretor de Imóveis é regulamentada pela Lei n.º 6.530, de 12 de maio de 1978, para exercê-la é necessário:

* Ser maior de 18 anos;

* Ter o ensino médio completo;

* Concluir curso específico na área, sendo o Técnico em Transações Imobiliárias (TTI) o indicado;

* Realizar estágio supervisionado;

* Solicitar o registro no CRECI (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis) no Estado que se pretende atuar. 

Somente com todos estes requisitos cumpridos, o profissional pode atuar como corretor de imóveis. No entanto, durante o período de estágio, é possível iniciar no dia a dia da profissão, sob a supervisão de um profissional registrado no CRECI.

Dessa forma, o corretor tem autonomia para exercer as suas atividades profissionais tendo seu próprio negócio e/ou associado a imobiliárias e outras empresas do mercado imobiliário, ampliando seus ganhos e oportunidades. 

Dicas para corretores de imóveis

Se você pretende se tornar um(a) corretor(a) de imóveis de sucesso, recomendamos que conheça e se inscreva no nosso canal no YouTube, onde todos os dias publicamos vídeos para lhe auxiliar durante a sua jornada profissional.

Convidamos também para que conheça o nosso treinamento VGV Fideliza, onde abordamos diversas técnicas de marketing de relacionamento e fidelização para que você possa vender e alugar mais imóveis para a sua própria base de clientes e leads.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Foto por Pedro Ribeiro Segundo o Índice FipeZap, os preços de locação residencial no Brasil tiveram um aumento significativo de ...
O mercado imobiliário de São Paulo apresentou quase 16 mil transações de compra e venda de imóveis em Janeiro deste ...
Veja todas as regras do FGTS futuro e saiba os detalhes de como ele funciona nos financiamentos imobiliários ...
O estudo indica que o faturamento deflacionado das indústrias de materiais de construção apresentou crescimento de 2,8% no acumulado até ...
Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por ...
Foto por Davi Costa No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional ...
Ao mesmo tempo em que vive um bom momento de vendas, setor imobiliário precisa lidar com um entrave: a falta ...
O Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é um dos ...
Foto por Leohoho O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) registrou um aumento de 1,06% em março de 2024, ...
Foto por Alex Caceres O mercado imobiliário brasileiro continua a apresentar sinais de dinamismo, com o Índice FipeZAP registrando um ...

Banca VGV