Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,50% (19/Junho/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,61% (05/Julho/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,25% (20/Junho/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,10% (22/Junho/2024) | IGP-M 0,81% (27/06/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +1,11% (26/Junho/2024) | IPCA 0,21% (10/07/2024) | INCC-M +0,93% (22/Junho/2024) | INCC-DI +0,71% (08/Julho/2024) | IVAR +0,61% (05/Julho/2024) |

30 Milhões de Imóveis até 2030: Como a tecnologia e a integração da cadeia vão tornar isso possível

Compartilhar a notícia

Construção civil brasileira: tecnologia e integração da cadeia são a chave para atender à demanda de 30 milhões de imóveis até 2030.
30 Milhões de Imóveis até 2030: Como a tecnologia e a integração da cadeia vão tornar isso possível

No horizonte da construção civil brasileira, a promessa de erguer 30 milhões de novos imóveis até 2030 se torna um desafio possível graças à revolução digital e à integração da cadeia de produção. Em um setor historicamente conhecido por sua baixa digitalização e modelos tradicionais, o impulso da tecnologia emerge como catalisador para transformações significativas.

A complexidade inerente ao mercado, com sua atuação fragmentada e regionalizada, é o ponto de partida para entender os desafios que permeiam a construção civil. A falta de integração, evidente tanto nos canteiros quanto nos processos de supply e transações financeiras, revela a urgência de uma mudança de paradigma.

A duração média de 36 meses no ciclo produtivo da incorporação imobiliária, somada aos ciclos longos e burocráticos, destaca a necessidade premente de acelerar os processos. Contudo, um dos obstáculos mais significativos é o atraso na transformação digital, identificado como um dos setores com menor nível de digitalização desde a década de 1960.

A construção civil, responsável por resolver desafios complexos e impactar infraestruturas de comunidades inteiras, está diante de uma encruzilhada. Enquanto outras indústrias avançam com eficiência e produtividade, o setor da construção ainda opera em moldes antigos.

A pandemia, apesar dos desafios, acelerou a busca por soluções inovadoras. O crescimento de 6,9% no PIB da construção civil em 2022 e a abertura de mais de 243 mil vagas formais nos primeiros dez meses de 2023 reforçam a vitalidade do setor. As projeções da Abrainc indicam uma demanda futura de 30 milhões de novos imóveis até 2030, alinhando-se à tendência global de urbanização, onde 68% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.

A tecnologia surge como uma peça fundamental nesse quebra-cabeça, sendo a integração da cadeia o segredo para o sucesso. Empresas que adotaram soluções digitais em todas as etapas da construção comprovaram resultados impressionantes: uma economia de até 34% no metro quadrado construído, prazos de entrega 21% mais curtos e uma agilidade surpreendente na assinatura de documentos.

Ao combinar tecnologia e integração da cadeia, a construção civil brasileira delineia um caminho mais eficiente e promissor. A atuação cíclica, onde a construção impulsiona a tecnologia e vice-versa, redefine a produtividade do setor, promovendo uma abordagem mais estratégica e inteligente. O futuro da construção civil no Brasil se revela, assim, como uma história de transformação digital e progresso, deixando para trás métodos obsoletos e abraçando um terreno fértil de oportunidades.

Fonte: Época Negócios

___

Fique bem informado sobre o mercado imobiliário através do canal do Portal VGV no WhatsApp. Siga já e receba nosso conteúdo em primeira mão: https://whatsapp.com/channel/0029Va8dBp9LI8YX1F7tpl22

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) de junho de 2024 apresentou um aumento de aluguéis residenciais em 0,61%, marcando uma ...
Cidades que lideraram valorização dos preços de locação de imóveis comerciais em maio incluíram Rio de Janeiro, Campinas, Florianópolis e ...
O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) de maio de 2024 registrou variação de 0,21%, representando uma desaceleração em relação à ...
Entre as capitais, maiores altas dos preços dos imóveis residenciais ocorreram em Curitiba, Goiânia, Maceió, Salvador e ...
Valorização do valor do aluguel comercial também abrangeu preços de venda, que apresentaram a maior variação desde ...
Em comparação a igual período em 2023, o INCC-M de maio 2024 registrou grande descompressão, pois a taxa anualizada em ...
Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba ...
O IPCA de Abril de 2024 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 0,38% e ficou 0,22 ponto percentual ...
O Comitê de Política Monetária do Banco Central - COPOM - decidiu nesta quarta-feira (8 de Maio) amenizar o ritmo ...
Índice que monitora o preço do aluguel residencial, medido pelo IBRE da Fundação Getúlio Vargas, mostrou incremento significativo em Abril. ...

Banca VGV

treinamento para

incorporadoras
e construtoras

Nova turma

24 de julho de 2024

São Paulo

PROFISSIONALIZE SEUS LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS E ATINJA A MÁXIMA RENTABILIDADE