Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,75% (20/03/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,64% (04/Abril/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,16% (16/Abril/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,07% (22/03/2024) | IGP-M -0,47% (27/03/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,73% (22/Mar/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,24% (25/Mar/2024) | INCC-DI +0,28% (05/04/2024) | IVAR 1,06% (04/04/2024) |

Selic caiu para 13,25%; o que esperar no mercado imobiliário?

Compartilhar a notícia

A tão esperada queda da taxa básica de juros da nossa economia veio. Agora que a Selic caiu para 13,25%, o que esperar no mercado imobiliário? Confira a análise do Portal VGV.

A tão esperada queda da taxa básica de juros da nossa economia veio. Agora que a Selic caiu para 13,25%, o que esperar no mercado imobiliário? Confira a análise do Portal VGV.

Após 3 anos, finalmente o Comitê de Política Monetária do Banco Central decidiu cortar a Selic, taxa básica de juros da nossa economia, em 0,5 ponto percentual, fixando-a em 13,25% a.a. A redução veio nesta última quarta-feira, 2 de Agosto.

De acordo com o comunicado emitido pela autoridade monetária, pesaram na decisão os cenários avaliados, o balanço de riscos e o amplo conjunto de informações disponíveis, que fizeram o Copom entender que essa decisão é compatível com a estratégia de convergência da inflação para o redor da meta ao longo do horizonte relevante, que inclui o ano de 2024 e, em grau menor, o de 2025. O colegiado ressaltou ainda que sem prejuízo de seu objetivo fundamental de assegurar a estabilidade de preços, essa decisão também implica suavização das flutuações do nível de atividade econômica e fomento do pleno emprego.

Decisão de cortar Selic em 0,5 ponto percentual não foi unânime

Um fator que chamou a atenção no comunicado é que a decisão não foi unânime. O Copom avaliou a alternativa de reduzir a taxa básica de juros para 13,50%, mas considerou ser apropriado adotar ritmo de queda de 0,50 ponto percentual nesta reunião em função da melhora do quadro inflacionário, reforçando, no entanto, o firme objetivo de manter uma política monetária contracionista para a reancoragem das expectativas e a convergência da inflação para a meta no horizonte relevante. No total, foram 5 votos para o corte de 0,50 ponto percentual (incluindo o voto do próprio presidente Campos Neto) e 4 votos para o corte de 0,25 ponto percentual.

A Selic vai cair mais?

Ao que tudo indica, sim. Se considerarmos os números atuais referentes à inflação (especialmente IPCA e IGP-M) e as projeções feitas no boletim Focus, a Selic deve seguir caindo na mesma magnitude nos próximos encontros do Copom conforme sinalizado no próprio comunicado após a última reunião, em que destacamos o trecho: em se confirmando o cenário esperado, os membros do Comitê, unanimemente, anteveem redução de mesma magnitude nas próximas reuniões e avaliam que esse é o ritmo apropriado para manter a política monetária contracionista necessária para o processo desinflacionário.

Selic caiu para 13,25%; o que esperar no mercado imobiliário? Indicadores do Panorama Econômico do Banco Central mostram inflação e evolução da Selic em 2023

O financiamento imobiliário vai ficar mais barato? Como fica o mercado imobiliário após a queda da Selic para 13,25%?

No mercado imobiliário, o clima é de otimismo após a queda da Selic, no entanto é importante ressaltar que esta queda não representa necessariamente uma mudança direta no ritmo das negociações porque os juros do financiamento imobiliário não caem na mesma proporção que a Selic cai (e nem no mesmo momento). O otimismo do mercado imobiliário se deve muito mais ao fato das perspectivas futuras de novos cortes (que, caso se confirmem, no longo prazo devem ajudar a promover cortes na taxa de juros dos financiamentos imobiliários oferecido pelos bancos).

Onde acompanhar as atualizações e notícias do mercado imobiliário?

A melhor maneira é assinando gratuitamente o Boletim VGV, nossa newsletter quinzenal com as principais informações e indicadores econômicos que impactam o setor. Se você é dono de incorporadora, imobiliária, investidor imobiliário ou até mesmo corretor(a) de imóveis, não perca tempo e assine agora mesmo para ficar bem informado sobre tudo o que acontece no setor.

Quando será a próxima reunião do Copom?

O Comitê de Política Monetária se reúne a cada 45 dias. Desta forma, as próximas reuniões do Copom serão conforme o calendário previsto abaixo:

* 19 e 20 de setembro de 2023
* 31 de outubro e 1º de novembro de 2023
* 12 e 13 de dezembro de 2023

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Foto por Pedro Ribeiro Segundo o Índice FipeZap, os preços de locação residencial no Brasil tiveram um aumento significativo de ...
O mercado imobiliário de São Paulo apresentou quase 16 mil transações de compra e venda de imóveis em Janeiro deste ...
Veja todas as regras do FGTS futuro e saiba os detalhes de como ele funciona nos financiamentos imobiliários ...
O estudo indica que o faturamento deflacionado das indústrias de materiais de construção apresentou crescimento de 2,8% no acumulado até ...
Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por ...
Foto por Davi Costa No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional ...
Ao mesmo tempo em que vive um bom momento de vendas, setor imobiliário precisa lidar com um entrave: a falta ...
O Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é um dos ...
Foto por Leohoho O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) registrou um aumento de 1,06% em março de 2024, ...
Foto por Alex Caceres O mercado imobiliário brasileiro continua a apresentar sinais de dinamismo, com o Índice FipeZAP registrando um ...

Banca VGV