Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,75% (20/03/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,64% (04/Abril/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,16% (16/Abril/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,07% (22/03/2024) | IGP-M -0,47% (27/03/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +0,73% (22/Mar/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,24% (25/Mar/2024) | INCC-DI +0,28% (05/04/2024) | IVAR 1,06% (04/04/2024) |

Retorno ao trabalho presencial e economia aquecida impulsionam mercado de escritórios

Compartilhar a notícia

O mercado imobiliário de escritórios em São Paulo está testemunhando um ressurgimento notável, impulsionado pelo retorno gradual ao trabalho presencial e pela crescente confiança na economia brasileira. Um estudo recente da Colliers International revela um aumento significativo na absorção bruta de escritórios na capital financeira do país, indicando uma tendência positiva para o setor.

De acordo com os dados fornecidos pela Colliers International, a absorção bruta de escritórios em 2023 totalizou impressionantes 445.159 metros quadrados, representando um aumento de 17% em relação ao ano anterior. Mais de 50% dos contratos foram atribuídos a escritórios das classes A e A+, refletindo a preferência das empresas por espaços de alta qualidade.

O último trimestre de 2023 destacou-se como o melhor período de negócios desde 2019, registrando uma absorção adicional de 81 mil metros quadrados. Esse aumento é atribuído à combinação de um clima econômico favorável e à consolidação do modelo de trabalho híbrido, com mais dias dedicados ao trabalho presencial.

Paula Casarini, CEO da Colliers, enfatiza a importância do retorno ao trabalho presencial na dinâmica do mercado imobiliário. Ela afirma que as empresas estão reavaliando suas necessidades de espaço, reconhecendo os benefícios do ambiente de trabalho colaborativo para a cultura organizacional e a inteligência coletiva.

A busca pelo espaço ideal tem gerado um aumento nos contratos de sublocação, à medida que as empresas compartilham os espaços ociosos resultantes da nova dinâmica de trabalho. Essa flexibilidade nos contratos reflete a disposição dos proprietários em manter seus ativos ocupados e adaptados às necessidades do mercado.

São Paulo em Foco: Movimentação e Desafios no Mercado de Escritórios

Apesar do aumento na absorção de escritórios, o estoque em São Paulo permanece substancial, totalizando 3,4 milhões de metros quadrados, com uma taxa média de vacância de 23%. No entanto, algumas regiões, como Pinheiros, Itaim Bibi e Nova Faria Lima, registraram uma vacância inferior a 10%, indicando uma demanda concentrada em áreas específicas da cidade.

Ricardo Betancourt, executive Chairman da Colliers International, destaca a natureza cíclica do mercado de escritórios, com empresas buscando empreendimentos mais modernos e próximos dos centros financeiros durante períodos de retração e explorando opções mais acessíveis nas extremidades durante fases de aquecimento do mercado.

Os setores de tecnologia, financeiro, saúde, indústria química e seguros emergiram como os principais impulsionadores da demanda por escritórios corporativos em São Paulo. Além disso, os “family offices” têm desempenhado um papel significativo, especialmente em produtos de categoria boutique.

Embora os preços médios de aluguel tenham aumentado ligeiramente em comparação com o ano anterior, algumas regiões, como JK e Nova Faria Lima, continuam a praticar valores acima de R$ 200 por metro quadrado. O Itaim Bibi lidera como o local mais caro para locação, com uma média de R$ 240 por metro quadrado e uma vacância excepcionalmente baixa de 5%.

Transformação nos Escritórios: Adaptações Emergentes no Design e Mobiliário

O retorno ao trabalho presencial também está impulsionando mudanças significativas no design e mobiliário dos escritórios. De acordo com uma pesquisa da CBRE, a maioria dos colaboradores e executivos prefere interações presenciais e valoriza uma estação de trabalho fixa. Isso está levando as empresas a reavaliarem seus layouts, priorizando espaços mais amplos e flexíveis, além de investirem em mobiliário ergonômico e sustentável para promover o bem-estar dos funcionários.

À medida que as empresas se preparam para receber seus colaboradores de volta aos escritórios, o mercado imobiliário de escritórios em São Paulo continua a evoluir, adaptando-se às novas demandas e prioridades do mundo pós-pandemia. Com o aquecimento do mercado e a retomada da economia, espera-se que essa tendência de crescimento persista, oferecendo oportunidades significativas para investidores e locatários no setor imobiliário da cidade.

Redação VGV com informações do Valor Econômico

___

Como acompanhar os principais indicadores do mercado imobiliário?

Se você que saber os principais índices do mercado imobiliário, assine gratuitamente o Boletim VGV, nossa newsletter quinzenal com as principais atualizações do setor.

Caso você seja dono de incorporadora e esteja buscando agência de marketing imobiliário para construtoras e incorporadoras, temos soluções específicas para lhe apoiar em seus negócios imobiliários. Fale com nosso time.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

Foto por Pedro Ribeiro Segundo o Índice FipeZap, os preços de locação residencial no Brasil tiveram um aumento significativo de ...
O mercado imobiliário de São Paulo apresentou quase 16 mil transações de compra e venda de imóveis em Janeiro deste ...
Veja todas as regras do FGTS futuro e saiba os detalhes de como ele funciona nos financiamentos imobiliários ...
O estudo indica que o faturamento deflacionado das indústrias de materiais de construção apresentou crescimento de 2,8% no acumulado até ...
Será que podemos ter um novo boom imobiliário no Brasil? Dados recentes apontam venda recorde de novos imóveis, demanda por ...
Foto por Davi Costa No último mês de março, os índices de inflação no Brasil, tanto o IPCA (Índice Nacional ...
Ao mesmo tempo em que vive um bom momento de vendas, setor imobiliário precisa lidar com um entrave: a falta ...
O Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é um dos ...
Foto por Leohoho O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) registrou um aumento de 1,06% em março de 2024, ...
Foto por Alex Caceres O mercado imobiliário brasileiro continua a apresentar sinais de dinamismo, com o Índice FipeZAP registrando um ...

Banca VGV