Logo Grupo VGV horizontal
CONFIRA OS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO | SELIC 10,50% (08/Maio/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL VENDA +0,74% (05/Junho/2024) | FIPEZAP+ RESIDENCIAL LOCAÇÃO +1,38% (21/Maio/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL VENDA +0,25% (28/Maio/2024) | IGP-M 0,31% (29/04/2024) | FIPEZAP+ COMERCIAL LOCAÇÃO +1,11% (28/Maio/2024) | IPCA 0,16% (10/04/2024) | INCC-M +0,59% (27/Mai/2024) | INCC-DI +0,86% (07/Junho/2024) | IVAR +0,21% (06/Junho/2024) |

Proporção de brasileiros que moram de aluguel cresce para 20,2%, diz IBGE

Compartilhar a notícia

Aluguel residencial ganha espaço entre jovens e população de menor renda, diz IBGE
Proporção de brasileiros que moram de aluguel cresce para 20,2%, diz IBGE

Na última quarta-feira (6), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados reveladores sobre as mudanças nas condições de moradia da população brasileira entre 2016 e 2022. A pesquisa da Síntese de Indicadores Sociais 2023 aponta uma queda na parcela da população que vive em imóveis próprios e quitados, enquanto a preferência por moradias alugadas tem crescido significativamente.

Segundo os dados mais recentes, em 2022, 64,6% dos brasileiros residem em imóveis próprios e já pagos, uma queda em relação aos 67,8% registrados em 2016. Por outro lado, a proporção de pessoas que optam pelo aluguel aumentou de 17,3% para 20,2% no mesmo período, evidenciando uma mudança no cenário habitacional do país.

O estudo também analisou a evolução desses números entre 2019 e 2022, destacando um aumento na preferência pelo aluguel. A proporção de imóveis próprios e já quitados passou de 66,9% para 64,6%, enquanto a distribuição populacional em imóveis alugados saltou de 18,5% para 20,2%.

A pesquisa revela nuances importantes relacionadas à classe social e região do país. De acordo com o analista Bruno Mandelli, responsável pela pesquisa, a opção por imóveis alugados é mais comum entre a população de 15 a 29 anos e nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. Além disso, o crescimento dessa preferência foi mais expressivo entre a população de menor rendimento.

A análise por faixa etária revela que a condição de domicílio alugado atinge a maior proporção (25,6%) na faixa de 15 a 29 anos, um período que frequentemente coincide com a saída dos jovens da casa dos pais. Em contraste, os imóveis próprios têm maior representatividade na faixa etária de 60 anos ou mais, atingindo 83,9%, enquanto a faixa de 0 a 14 anos apresenta a menor proporção de imóveis próprios, com 56,5%.

Os dados do IBGE indicam uma transformação nas escolhas habitacionais dos brasileiros, refletindo não apenas uma mudança nas preferências, mas também apontando para questões sociais e econômicas que moldam o panorama habitacional do país. O crescimento na proporção de imóveis alugados, especialmente entre os mais jovens e em regiões específicas, destaca a necessidade de uma análise mais aprofundada sobre os fatores impulsionadores dessas mudanças e suas consequências para o futuro do mercado imobiliário brasileiro.

Fonte: Valor Econômico

___

Já deu uma olhada em nossa seleção de livros?

Descubra os títulos mais populares sobre Marketing Imobiliário no Brasil, explore uma variedade de técnicas e otimize o processo de venda e locação de imóveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar a notícia

Veja mais

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) de maio de 2024 registrou variação de 0,21%, representando uma desaceleração em relação à ...
Entre as capitais, maiores altas dos preços dos imóveis residenciais ocorreram em Curitiba, Goiânia, Maceió, Salvador e ...
Valorização do valor do aluguel comercial também abrangeu preços de venda, que apresentaram a maior variação desde ...
Em comparação a igual período em 2023, o INCC-M de maio 2024 registrou grande descompressão, pois a taxa anualizada em ...
Maiores altas de abril do valor pedido pelo aluguel residencial ocorreram em Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Salvador e Curitiba ...
O IPCA de Abril de 2024 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 0,38% e ficou 0,22 ponto percentual ...
O Comitê de Política Monetária do Banco Central - COPOM - decidiu nesta quarta-feira (8 de Maio) amenizar o ritmo ...
Índice que monitora o preço do aluguel residencial, medido pelo IBRE da Fundação Getúlio Vargas, mostrou incremento significativo em Abril. ...
Com discreta aceleração, o último relatório do Índice FipeZAP mostrou que o preço médio de venda de imóveis residenciais subiu ...
Foto por Charles de Luvio No cenário do mercado imobiliário, a observação atenta dos indicadores econômicos é crucial para entender ...

Banca VGV