Dicas: como comprar um lote com segurança


Para auxiliar o consumidor e evitar que ele tenha problemas ao adquirir um terreno em loteamentos, o Secovi-SP orienta como proceder e quais os documentos necessários

Importante componente para a redução do déficit habitacional, o lote sempre figurou como alternativa para a realização do sonho da casa própria. O lote urbanizado embute vantagens como, por exemplo, ter o custo de sua aquisição, somado à construção, mais acessível do que um imóvel pronto. Além da flexibilização no projeto, permite ainda que a obra seja executada de acordo com as condições financeiras do comprador e a possibilidade de ampliação do imóvel.

A maioria dos loteamentos é comercializada por meio de financiamento direto do loteador, com prazos inferiores aos praticados pelas instituições financeiras que operam o crédito imobiliário – e que geralmente financiam 70% do valor, com juros mais caros. Também não existe acesso aos recursos legais do FGTS para o financiamento ou a quitação de terrenos, algo que o setor formal continua pleiteando junto ao governo.

Com o objetivo de auxiliar o consumidor em sua escolha, o Secovi-SP relaciona os documentos e procedimentos necessários para efetuar a aquisição responsável do lote urbanizado.

Documentos necessários:

. Alvará de Loteamento – autorização da Prefeitura para a execução do empreendimento;

. Licença ambiental - que autoriza a execução do loteamento (no Estado de São Paulo, esse documento é o Certificado do Graprohab ou a Licença de Instalação da Cetesb/Secretaria do Meio Ambiente);

. Matrícula do Loteamento - (documento do Cartório de Registro de Imóveis da Comarca em que o empreendimento está localizado), demonstrando que foi registrado. Esse documento garante que o lote é legal;

. Termo de Vistoria e Entrega das Obras – considerado o Habite-se do loteamento, é emitido pela Prefeitura da cidade onde o empreendimento se encontra, e comprova que o loteador cumpriu todas as etapas da obras às quais estava obrigado. Caso o loteamento esteja em obras, é importante ter o documento da Prefeitura (instrumento de garantia) que informa quais são as obras de infraestrutura urbana que o loteador está obrigado a implantar;

. Compromisso de Compra e Venda - (contrato padrão) – documento que o loteador é obrigado a depositar no Cartório de Registro de Imóveis e no qual constam as regras edilícias do loteamento, bem como as obras obrigatórias, e todas as regras de relacionamento entre o vendedor (loteador/proprietário do loteamento) e o adquirente (consumidor);

. Certidão negativa de IPTU - Documento que comprova que não há débitos no recolhimento do imposto territorial urbano do lote pretendido na aquisição;

. Certidão negativa de débitos - para com a Associação de Proprietários, caso se trate de loteamento fechado (semelhante ao condomínio). Verificar se não há pendências do loteador/proprietário do lote com a entidade que congrega todos os proprietários de lotes do empreendimento;

O que fazer:
De posse dos documentos acima, o interessado deve percorrer o loteamento para constatar se tudo o que foi prometido ou executado se encontra efetivamente no local – principalmente a demarcação e a identificação do terreno. Ou seja, conferir as divisas, bem como os marcos respectivos.

É importante também confirmar a documentação por meio de uma visita à Prefeitura local e no Cartório de Registro de Imóveis competente.

Comentários

  1. Vivemos no país do samba e do carnaval, pra que comprar um terreno ou imóvel? Um amigo em situação econômica desfavorável e gravemente enfermo teve um lote de menos 100 m² na Presidente Dutra em Guarulhos legalmente roubado em um processo de usucapião por um sujeito chamado Hercules Simões Saram (informação de domínio público, saiu no Diário Oficial e está em sites de busca como o Google) corretor de imóveis (ô raça maldita) o que lhe facilitou pegar carnês de IPTU alheios na prefeitura, que somente o dono em prática teria acesso, ao menos segundo a lei, correspondência é pessoal. Meu amigo acamado comprou com dinheiro e com suor, é gente humilde e trabalhadora, magnata não compra lote com menos de 250 m² na periferia, trabalho de uma vida, ele não pôde usufruir do bem por problemas de saúde gravíssimos, mas comprou e pagou, deveria existir alguma garantia de posse. No Brasil basta achar um terreno com mato alto e menos de 250mq checar se os IPTUS estão pagos, e pagá-los (em terrenos pequenos é no máximo 30 reais por ano podendo ser parcelado em 12x), nem precisa morar no lote/imóvel, só plantar uns tomatinhos, capinar e pronto, em 5 anos é só entrar com um processo de usucapião (precisa de advogado, mas o processo é barato), molha a mão de uns vizinhos e pronto, se adquire um lote que vale de 80 mil a 300 mil dependendo do local, uma imoralidade jurídica que muitos brasileiros desonestos se aproveitam. Trabalho aqui não vale nada, o esforço de uma vida é perdido, e olhem só, somente imóveis privados e com menos de 250mq podem ser tomados por usucapião, logo os bens do governo e dos abastados estão a salvo, quem se fode é o trabalhador e seus herdeiros, a maioria das invasões são áreas do governo, gente que não tem outra opção na vida além de invadir). Brasil, sempre protegendo bandidos, vagabundos e imorais e lesando trabalhadores honestos. Existe só um meio honesto de se adquirir um lote, casa ou bem; pagando por ele! Aprendam a ser proteger dos vagabundos oportunistas, vejam este vídeo. http://www.youtube.com/watch?v=3bqlzGxPwm8

  2. Adorei as explicações, assim como fiquei solidária a esta istória. do usucapião. Acho sim que as leis de posse, de um determinado terreno, tem que ser revistas e ter mais rigor, como o colega falou a pessoa, invade, o que voce muitas vezes pagou as prestações, ele vai na prefeitura e passa FACILMENTE, O IPTU PARA O NOME DO INVASOR. O que muitas vezes oproprietário ou a família, nem sabe. PRECISAM PROTEGER MELHOR E COM MAIS EFICIÊNCIA AQUELES QUE SÃO DONOS DE SEUS BENS, QUE MUITAS VEZES FOI CONQUISTADO COM MUITO TRABALHO. QUEM DEVE TER ASCESSO AO IPTU OU TRANSFERÊNCIA É APENAS O DONO OU O REPRESENTANTE LEGAL. JUSTIÇA VAMOS ACORDAR E REFAZER, ESSAS LEIS, QUE POR ENQUANTO, TEM FAVORECIDO BANDIDOS, COM CARA DE COITADINHOS, MAS SÃO MAL CARATER, POIS SÃO ESPERTOS PARA AGIR DE MÁ FÉ; Mra Jane


Próximo evento

Semana da Incorporação Imobiliária

Conheça todas as etapas para realizar uma incorporação imobiliária

Garanta Aqui

CONFIRA AS EDIÇÕES ANTERIORES

Saiba como foi

BANCA VGV

Fique atualizado com o melhor da central de conhecimento do mercado imobiliário! Conheça cursos exclusivos e as melhores publicações do setor.

Confira a banca completa

Patrocínio Institucional