Hello world!

Veja como ficaram os reajustes salariais e demais cláusulas em algumas cidades paulistas, conforme o Sinduscon-SP


O SindusCon-SP (Sindicato da Construção) e sindicatos do Interior assinaram em 22 de junho Convenções Coletivas de Trabalho, com vigência a partir de 1º de maio de 2020. Ao mesmo tempo, prosseguem as negociações com os demais sindicatos do Interior e em breve deveremos fechar novos acordos.


As convenções assinadas abrangem os trabalhadores da construção das bases territoriais dos sindicatos dos trabalhadores da construção de Bauru, Botucatu, Campinas, Cerqueira César, Duartina, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Salto e São Bernardo e do Sindicato Solidariedade, como São Caetano.


Desde 1º de maio até 30 de abril de 2021, ficaram acertados um reajuste de 2,46% para os salários até R$ 6 mil, e reajuste por livre negociação para os salários acima deste valor.


Desde 1º de maio, vigoram os seguintes pisos:


Trabalhadores não qualificados – servente, contínuo, vigia, auxiliares de trabalhadores qualificados e demais trabalhadores cujas funções não demandem formação profissional: R$ 1.551,16 por mês ou R$ 7,05 por hora, para 220 horas mensais.


Trabalhadores qualificados – pedreiro, armador, carpinteiro, pintor, gesseiro e demais profissionais qualificados não relacionados: R$ 1.886,97 por mês, ou R$ 8,57 por hora, para 220 horas mensais.


Trabalhadores qualificados em obras de montagem de instalações industriais: R$ 2.261,17 por mês, ou R$ 10,27 por hora, para 220 horas mensais.


As diferenças salariais relativas a maio e junho, decorrentes da aplicação do reajuste pactuado, deverão ser pagas até a folha de pagamento de julho de 2020, de forma destacada, sob o título “Diferença Aditamento Convenção Coletiva Maio 2020”.


Alimentação


Igualmente, os valores foram reajustados em 2,46%, que corresponde à variação do INPC no período.


Permanece a obrigação de fornecimento do café da manhã e do lanche da tarde, ambos para os trabalhadores da produção.


O valor do tíquete refeição foi para o mínimo de R$ 22,76 e o da outra alternativa, o vale alimentação, foi para R$ 322,75. As diferenças em relação aos valores pagos em maio e junho deverão ser creditadas até a folha de pagamento do mês de julho.


Alternativamente, o almoço completo poderá ser oferecido em situações excepcionais, como nos casos de obras em locais remotos e/ou de difícil acesso, obras que se desenvolvem em horários noturnos ou obras contratadas em empresas ou estabelecimentos que exijam que os trabalhadores usem o sistema de alimentação oferecido no local da prestação de serviços. Para outros casos excepcionais, a alternativa de almoço completo deverá ser acordada mediante ajuste prévio entre a empresa, o SindusCon-SP e o sindicato dos trabalhadores.


As empresas que estejam servindo almoço completo e não estejam enquadradas nestas exceções têm até 60 dias para migrarem para o tíquete refeição ou o vale alimentação.


Contribuição ao sindicato dos trabalhadores


Pela convenção, as empresas descontarão em folha de pagamento de seus empregados, sindicalizados ou não, contribuição assistencial, retributiva ou solidária mensal de 1,20% ou 1,50% dos salários já reajustados, com tetos de até R$ 60, dependendo da respectiva convenção.


Os valores descontados deverão ser repassados ao sindicato dos trabalhadores até o dia 5, 6 ou 10 de cada mês, dependendo da respectiva convenção. Há também o direito de oposição em Bauru, Campinas e Mogi das Cruzes.


As empresas deverão permitir ao sindicato dos trabalhadores o acesso aos locais de trabalho para que este realize assembleias que informarão sobre a importância da contribuição retributiva e deliberarão a seu respeito. A deliberação tomada será considerada uma anuência coletiva de autorização prévia e expressa para o desconto da contribuição em folha de pagamento.


Redução e suspensão de jornada


O SindusCon-SP e os sindicatos acima também assinaram aditivo às respectivas convenções coletivas, com disposições sobre flexibilizações, reduções ou suspensões de jornada, teletrabalho, medidas obrigatórias de combate à Covid-19 e outros itens. Os aditivos substituem outros eventualmente assinados e têm vigência até 31 de dezembro ou até o final do estado de calamidade, o que vencer por último.


Com base nas Medidas Provisórias 927 e 936, os aditivos superam as convenções coletivas em tudo o que regularam.


Comissão Permanente de Negociação


O SindusCon-SP e os sindicatos acima comprometeram-se a instituir uma Comissão Permanente de Negociação Coletiva com vistas a identificar, discutir e buscar alternativas para questões decorrentes da interpretação das normas coletivas a elas aplicáveis e a solução de eventuais problemas envolvendo as empresas e os trabalhadores no âmbito de suas competências.


As partes se comprometeram a buscar a solução negociada de eventuais problemas ou divergências por meio deste fórum, adotando possíveis saídas judiciais ou paralisações de atividades apenas depois de esgotadas as tentativas de conciliação.


As demais cláusulas sociais da convenção, como o banco de horas, a contribuição ao Seconci-SP (Serviço Social da Construção), o fornecimento de protetor solar e uniforme e outras permanecem as mesmas da convenção anterior.


Municípios abrangidos


As convenções abrangem os trabalhadores dos seguintes sindicatos e respectivos municípios:


BAURU E REGIÃO: Álvaro de Carvalho, Alvinlândia, Arealva, Areiópolis, Avaí, Balbinos, Bauru, Boracéia, Borebi, Cafelândia, Getulina, Guaimbê, Guarantã, Iacanga, Júlio Mesquita, Lençóis Paulista, Lins, Lucianópolis, Lupercio, Macatuba, Pederneiras, Paulistânia, Pirajuí, Piratininga, Pongai, Presidente Alves, Reginópolis, Sabino, Ubirajara e Uru;

CAMPINAS E REGIÃO: Americana, Amparo, Campinas, Cosmópolis, Jaguariúna, Nova Odessa, Paulínia, Santa Bárbara D`Oeste, Sumaré e Valinhos;

CERQUEIRA CÉSAR E REGIÃO: Águas de Santa Bárbara, Arandu, Cerqueira César, Espírito Santo do Turvo, Iaras, Ocauçu e Óleo;

BOTUCATU: Avaré, Botucatu, Itatinga, São Manuel, Pratania, Pardinho e Bofete;

DUARTINA E REGIÃO: Cabrália Paulista, Duartina e Gália;

GUARULHOS E ARUJÁ: Guarulhos e Arujá;

MOGI DAS CRUZES: Mogi das Cruzes, Guararema, Suzano, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Santa Isabel, Itaquaquecetuba e Biritiba-Mirim;

SALTO: Salto;

SÃO BERNARDO DO CAMPO E DIADEMA: São Bernardo do Campo e Diadema;

SOLIDARIEDADE: Adamantina, Bernardino de Campos, Fartura, Flórida Paulista, Ipaussu, Lucélia, Manduri, Mariápolis, Pacaembu, Piraju, Santa Cruz do Rio Pardo e São Caetano do Sul.


Fonte: Sinduscon-SP



Portal VGV

Portal VGV

Comentários


Próximo evento

Congresso do Mercado Imobiliário da Bahia

O mercado imobiliário pós-retomada econômica

Faltam:

Garanta Aqui

CONFIRA AS EDIÇÕES ANTERIORES

Saiba como foi

BANCA VGV

Fique atualizado com o melhor da central de conhecimento do mercado imobiliário! Conheça cursos exclusivos e as melhores publicações do setor.

Confira a banca completa

Patrocínio Institucional