Construção civil movimentará quase 1 bilhão de Reais só em 2012

portalvgv 04/05/2012 2
O montante refere-se a soma de investimentos e retorno com vendas das principais empresas dos setores da construção civil e imobiliário que se reuniram nesta quinta, em Santos, para debater o setor no Ficon 2012.

O clima entre os principais empresários dos setores da construção civil e imobiliário que atuam na Baixada Santista é de estabilidade e crescimento sustentável. O momento é de colher os louros de uma economia aquecida e encontrar alternativas para atender à demanda e movimentar quase 1 bilhão de Reais na economia local, só em 2012, com a entrega e venda de empreendimentos em andamento e o start de novos negócios. São R$ 350 milhões de investimentos da Miramar Construtora, R$ 45 milhões da Construtora Besmon e cerca de R$ 400 milhões da Franz Construtora em parceria com a Odebrecht Realizações Imobiliárias (OR), entre outros aportes. Ambas empresas participaram do FICON 2012 – Fórum da Indústria da Construção Civil de Santos e Região, neste dia 03 de maio, em Santos-SP.

A expectativa de crescimento vai além da demanda por empreendimentos imobiliários e atinge um assunto delicado para a região, o desenvolvimento da infraestrutura urbana. “A Baixada Santista tem tudo para se tornar uma das regiões mais pujantes de todo o estado de São Paulo, principalmente, por conta do pré-sal e da vinda do Centro de Operações da Petrobrás, que deve significar um aumento geral de 30% nos postos de trabalho locais”, afirma o diretor regional da OR, Marcelo Arduin.

Na visão do empresário, a expansão da Baixada é tão latente que até 2020 devem ser investidos, aproximadamente R$ 45 bilhões em infraestrutura urbana e construção civil – número no qual a Odebrecht se baseou para estimar seus investimentos próprios na região.

Já o diretor da Miramar Construtora enxerga o momento positivo como uma oportunidade para o setor amadurecer e aprender mais. “Ao contrário do que muitos pensam, a região não vive uma bolha imobiliária. O número alto de ofertas foram os responsáveis pela bolha dos Estados Unidos e da Europa, aqui acontece justamente o contrário. Mesmo que mantenha-se o ritmo, a Baixada Santista não conseguirá atender a demanda por mais 10 anos. É preciso ter cautela, sempre, mas não podemos acreditar que exista uma bolha no mercado econômico imobiliário”, explica.

Para a diretora da Vértice Construtora, Iná Quintas, o momento atual permite construir bases sólidas e conquistar resultados positivos, como o de superar a euforia inicial do mercado e migrar para uma fase equilibrada e de comércio saudável tanto para as construtoras quanto para o consumidor final.

Segundo o sócio-diretor da Besmon, Renato Monteiro, é nos espaços de debates que os empresários, profissionais do setor e gestores públicos encontram oportunidades para conquistar resultados mais positivos e melhorar o mercado. “Não adianta nada termos terrenos baratos ou caros, se não tivermos para quem vender. A troca de experiência contribui para o desenvolvimento das cidades. O Fórum da Indústria da Construção de Santos e Região é um dos exemplos de encontros que possibilitam a troca de experiência, para mim é uma iniciativa excepcional, onde sinalizaremos problemas, coisas positivas e debateremos possíveis soluções”, ressalta.

Planejamento – Promovido pelo Sistema A Tribuna de Comunicação e organizado pela Una Marketing de Eventos, a segunda edição do Ficon tem o objetivo de abordar temas como: a importância da infraestrutura urbana para o mercado imobiliário regional, expectativas em relação ao mercado para os próximos anos, sustentabilidade nas edificações/edifícios verdes e o planejamento dos municípios da região para as necessidades que os novos investimentos vêm trazendo. A exemplo do que ocorreu em 2011, quando uma comitiva formada por empresários e autoridades, estiveram em Barcelona, na Espanha, visitando inclusive a Construmat (Feira Internacional de Construção de Barcelona), desta vez a missão técnica ocorrerá no Panamá, país da América Central que passa por grandes transformações urbanísticas, entre 6 e 10 de maio.

Destaque – Um dos destaques do evento neste ano é a participação do premiado consultor de empresas e conferencista Stephen Kanitz. Como as empresas devem se posicionar em relação às principais tendências demográficas, sociais e econômicas que afetarão os mercados brasileiros a curto, médio e longo prazo e de que forma este impacto alcançará os setores imobiliário e da construção civil na Baixada Santista. Este é o tema da palestra “As tendências que afetarão os seus negócios”, que Kanitz vai proferir no Ficon 2012.

2 Comentários »

Comente esta notícia »