NEWSLETTER    RECEBA SEMPRE EM PRIMEIRA MÃO NOSSO CONTEÚDO

Construção civil movimentará quase 1 bilhão de Reais só em 2012

O montante refere-se a soma de investimentos e retorno com vendas das principais empresas dos setores da construção civil e imobiliário que se reuniram nesta quinta, em Santos, para debater o setor no Ficon 2012.

O clima entre os principais empresários dos setores da construção civil e imobiliário que atuam na Baixada Santista é de estabilidade e crescimento sustentável. O momento é de colher os louros de uma economia aquecida e encontrar alternativas para atender à demanda e movimentar quase 1 bilhão de Reais na economia local, só em 2012, com a entrega e venda de empreendimentos em andamento e o start de novos negócios. São R$ 350 milhões de investimentos da Miramar Construtora, R$ 45 milhões da Construtora Besmon e cerca de R$ 400 milhões da Franz Construtora em parceria com a Odebrecht Realizações Imobiliárias (OR), entre outros aportes. Ambas empresas participaram do FICON 2012 - Fórum da Indústria da Construção Civil de Santos e Região, neste dia 03 de maio, em Santos-SP.

A expectativa de crescimento vai além da demanda por empreendimentos imobiliários e atinge um assunto delicado para a região, o desenvolvimento da infraestrutura urbana. "A Baixada Santista tem tudo para se tornar uma das regiões mais pujantes de todo o estado de São Paulo, principalmente, por conta do pré-sal e da vinda do Centro de Operações da Petrobrás, que deve significar um aumento geral de 30% nos postos de trabalho locais", afirma o diretor regional da OR, Marcelo Arduin.

Na visão do empresário, a expansão da Baixada é tão latente que até 2020 devem ser investidos, aproximadamente R$ 45 bilhões em infraestrutura urbana e construção civil - número no qual a Odebrecht se baseou para estimar seus investimentos próprios na região.

Já o diretor da Miramar Construtora enxerga o momento positivo como uma oportunidade para o setor amadurecer e aprender mais. "Ao contrário do que muitos pensam, a região não vive uma bolha imobiliária. O número alto de ofertas foram os responsáveis pela bolha dos Estados Unidos e da Europa, aqui acontece justamente o contrário. Mesmo que mantenha-se o ritmo, a Baixada Santista não conseguirá atender a demanda por mais 10 anos. É preciso ter cautela, sempre, mas não podemos acreditar que exista uma bolha no mercado econômico imobiliário", explica.

Para a diretora da Vértice Construtora, Iná Quintas, o momento atual permite construir bases sólidas e conquistar resultados positivos, como o de superar a euforia inicial do mercado e migrar para uma fase equilibrada e de comércio saudável tanto para as construtoras quanto para o consumidor final.

Segundo o sócio-diretor da Besmon, Renato Monteiro, é nos espaços de debates que os empresários, profissionais do setor e gestores públicos encontram oportunidades para conquistar resultados mais positivos e melhorar o mercado. "Não adianta nada termos terrenos baratos ou caros, se não tivermos para quem vender. A troca de experiência contribui para o desenvolvimento das cidades. O Fórum da Indústria da Construção de Santos e Região é um dos exemplos de encontros que possibilitam a troca de experiência, para mim é uma iniciativa excepcional, onde sinalizaremos problemas, coisas positivas e debateremos possíveis soluções", ressalta.

Planejamento - Promovido pelo Sistema A Tribuna de Comunicação e organizado pela Una Marketing de Eventos, a segunda edição do Ficon tem o objetivo de abordar temas como: a importância da infraestrutura urbana para o mercado imobiliário regional, expectativas em relação ao mercado para os próximos anos, sustentabilidade nas edificações/edifícios verdes e o planejamento dos municípios da região para as necessidades que os novos investimentos vêm trazendo. A exemplo do que ocorreu em 2011, quando uma comitiva formada por empresários e autoridades, estiveram em Barcelona, na Espanha, visitando inclusive a Construmat (Feira Internacional de Construção de Barcelona), desta vez a missão técnica ocorrerá no Panamá, país da América Central que passa por grandes transformações urbanísticas, entre 6 e 10 de maio.

Destaque - Um dos destaques do evento neste ano é a participação do premiado consultor de empresas e conferencista Stephen Kanitz. Como as empresas devem se posicionar em relação às principais tendências demográficas, sociais e econômicas que afetarão os mercados brasileiros a curto, médio e longo prazo e de que forma este impacto alcançará os setores imobiliário e da construção civil na Baixada Santista. Este é o tema da palestra "As tendências que afetarão os seus negócios", que Kanitz vai proferir no Ficon 2012.

Comentários


Próximo evento

Congresso do mercado imobiliário de Ribeirão Preto

Em breve mais informações sobre a edição de 2018. Veja como foi 2017.

Faltam:

Garanta Aqui

CONFIRA AS EDIÇÕES ANTERIORES

Saiba como foi

BANCA VGV


Adquira guias completos do mercado imobiliário da sua região. Tenha em suas mãos tudo o que precisa para vender mais.


saiba mais

APOIO INSTITUCIONAL

NEWSLETTER    RECEBA SEMPRE EM PRIMEIRA MÃO NOSSO CONTEÚDO