NEWSLETTER    RECEBA SEMPRE EM PRIMEIRA MÃO NOSSO CONTEÚDO

Hello world!

Construtoras retomam lançamentos em 2019


Empresários imobiliários em Goiás apontam um cenário muito mais otimista para este ano que começa, graças à fatores como: a manutenção dos juros baixos, redução dos estoques em 2018 e regulamentação dos distratos e maior confiança na política econômica do novo governo

 

A perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), manutenção da baixa taxa de juros, controle da inflação, maior confiança no novo governo e a entrada em vigor de algumas novidades já no começo de 2019, como o aumento para R$ 1,5 milhão no financiamento imobiliário pelo FGTS e a recente regulamentação das normas sobre distratos para contratos de venda de imóveis, são fatores que fazem de 2019, segundo especialistas, o ano de retomada do mercado imobiliário em todo o País. Goiás também está dentro dessa projeção otimista para o setor. Para se ter uma ideia, só a URBS, uma das maiores imobiliárias do Estado, já confirmou 35 lançamentos para este ano que inicia. O número é mais do que o dobro registrado pelo Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO) entre janeiro e setembro de 2018. Nesse período foram contabilizados 15 lançamentos.

 

Acumulando mais de 20 anos de atuação no mercado imobiliário, Ricardo Teixeira, um dos diretores da URBS, faz uma análise bastante otimista para 2019. Segundo ele, as construtoras vão lançar muito mais em 2019, que será um ano de grandes oportunidades. Para o executivo, a melhora dos índices econômicos registrada no final de 2018 é um forte indicativo disso, como por exemplo a expansão do PIB , que tem uma previsão de crescimento superior a 2%  em 2019 e o otimismo do setor produtivo quanto ao novo governo federal, o que para ele, reforça a confiança de empresas e consumidores

 

“Estamos em uma fase em que é inacreditável o que vai acontecer com o País em termos de prosperidade econômica. Assim como  nos anos anteriores, no auge da crise, nós levantamos a bandeira de que era preciso ser resiliente e ir atrás das oportunidades, agora a URBS está levantando a bandeira que é preciso ter muita disposição e trabalhar para se apropriar rapidamente desse crescimento sem igual que terá o Brasil”, considera Teixeira.


Ele lembra ainda que o mercado imobiliário em Goiás pode ter um crescimento ainda maior, já que segundo ele, o Estado está entre os que menos sofreu com a crise econômica dos últimos anos. O especialista imobiliário ressalta que Goiás, mesmo num ano de incertezas com uma eleição acirrada, como foi a de 2018, graças ao agronegócio, registrou um crescimento de 4,7%, ante a média nacional de 2,5%. 

 

“Mais uma vez esse setor, que corresponde a mais de 60% do PIB goiano, movimentou a nossa economia e fomentou outros setores, que também registram crescimento, como a indústria e os serviços. Num cenário como esse e agora com a crescente aceleração da economia brasileira a perspectiva é só de melhora”, afirma Ricardo Teixeira ao comentar alguns números divulgados recentemente pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Econômicos (IMB), da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan).

 

O anúncio de 35 lançamentos imobiliários de incorporadoras com a qual trabalha, é um claro exemplo do cenário otimista esperado pela URBS para 2019. “Só em Goiânia serão 30 novos empreendimentos apresentados”, informa Teixeira. Depois de crescer mais que 20% em volume de vendas no ano de 2018,  a URBS já estima, para 2019, um crescimento superior a este percentual, atingindo um acumulado acima dos 40% nestes dois anos.

 

Alta nos aluguéis

 

Além das vendas de imóveis, a URBS registrou em 2018 uma expansão de 10% na carteira de aluguéis. O também diretor da URBS, José Humberto Carvalho, comemora o feito. Na avaliação dele, colaborou para esse resultado o fato de muitos investidores terem recebido agora, em 2018, e colocado para alugar imóveis que eles haviam adquirido na planta há três, quatro anos. Isso impulsionou, segundo ele, o volume de imóveis colocados à disposição para atuação dos corretores da URBS.

José Humberto acredita em uma provável alta nos valores dos aluguéis. “O Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) subiu um pouco neste ano e impulsionou consideravelmente o preço do aluguel. Por isso, estamos conseguindo voltar aos preços praticados há dois anos, tornando melhor o investimento em aluguel”, observa o diretor.

 

O diretor José Humberto salienta que, com o reaquecimento da economia, as empresas voltaram a investir e a abrir novos pontos comerciais, demandando aluguéis também de imóveis corporativos. “Há muitas grandes redes de fora abrindo filiais em Goiânia. Isso ajuda a aquecer os negócios imobiliários nas diversas regiões da cidade, o que inclui o aluguel”, comentou. O executivo acredita que esse otimismo do mercado levará ao lançamento de novos empreendimentos comerciais dentro do prazo de dois anos, até 2020.


Segmento de imóveis econômicos deve crescer ainda mais


O segmento de imóveis econômicos promete seguir a todo vapor em 2019, principalmente se levarmos em conta, que esse nicho do mercado imobiliário está entre os menos afetados pela crise dos últimos três anos, muito em função do financiamento realizado pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Com a melhora do cenário econômico, a tendência é de mais crescimento em 2019.

 

Em Goiás, onde a MRV atua desde 2007, a expectativa para 2019 é de 2,4 mil unidades lançadas, distribuídas em sete novos empreendimentos residenciais a serem construídos nas cidades de Goiânia, Aparecida e Anápolis.

 

Para o gestor de vendas em Goiás da MRV Engenharia, empresa líder nacional na construção e venda de imóveis econômicos, Fernando Salomão, o principal indicativo que sustenta essa boa projeção para o ano que se inicia é o aumento, em 2018, na procura pelo FGTS para uso na habitação. A edição mais recente da pesquisa “Análise das Necessidades Habitacionais e suas Tendências para os Próximos Dez Anos”, divulgada em outubro último pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostra que enquanto no primeiro semestre de 2017 houve 1.145.054 saques do FGTS para fins de financiamento imobiliário, em igual período de 2018 o volume de retiradas do Fundo foi de 1.349.635, um aumento de quase 18% no uso desse recurso para adquirir a casa própria. Segundo esse mesmo levantamento, a estimativa é de em 2018, cerca de R$ 9 bilhões oriundos do FGTS, tenham sido alocados para o financiamento habitacional. Em 2021, o estudo prevê que esse valor chegue a R$ 50 bilhões.

 

“Isso mostra que há um otimismo geral e crescente no mercado. A melhora nos índices de confiança da construção já vem sinalizando que o setor tem as melhores perspectivas para o próximo ano. Essa alta no volume de saques do FGTS torna claro que o consumidor também está confiante para comprar a casa própria”, observa Fernando.

 

O executivo também aponta, como fatores que ajudaram no aumento dessa confiança de empresas e consumidores, a manutenção de uma taxa de juros a 6,5% (a menor da história), possibilitando a oferta de crédito mais barato, tanto para quem constrói quanto para quem compra um imóvel; controle da inflação e ainda tendência de crescimento do PIB. “Acredito que esse cenário deverá ser, não só mantido, mas intensificado em 2019. Por isso o nível de confiança do comprador, e também das companhias, em 2019 só tende a crescer”, avalia.

 

Parcerias em projetos serão tendência em 2019, diz incorporador


A realização de projetos em conjunto entre empresas do setor da construção civil tornou-se  mais frequente para enfrentar as adversidades dos últimos anos de crise econômica, em especial entre 2015 e 2017. Porém, com o País retomando a rota de ascensão, essas parcerias devem seguir no mercado. Essa é a avaliação do engenheiro e incorporador Paulo Silas Ferreira, diretor comercial da Sim Engenharia.

 

“O fortalecimento das parcerias entre incorporadoras é uma tendência que veio para ficar, pois tem ajudado as empresas da área da construção civil a enfrentarem as dificuldades de uma economia que segue em recuperação. Por meio dessas parcerias, diminui-se os riscos do negócio”, avalia o empresário.

 

A principal obra da Sim Engenharia, o Kingdom Park Residence, é fruto de uma parceria de sucesso da empresa com a MA Incorporadora e a J Virgílio Imóveis. O residencial de luxo, que está sendo construído na região do Setor Bueno, em Goiânia, promete ser um novo marco arquitetônico para a cidade. Lançado em 2016, o empreendimento será a mais alta torre residencial da Região Centro-Oeste, com 175,09 metros em relação ao nível da rua e 180,71 metros em relação ao segundo subsolo. Localizada próxima ao Parque Vaca Brava, a edificação trará verdadeiras mansões nas alturas com apartamentos de 482 metros quadrados. A previsão de entrega é para dezembro deste ano.

 

Acompanhando o movimento de ascensão do setor imobiliário e fortalecendo parcerias que deram certo em novembro de 2017, a Sim Engenharia, a J Virgilio Imóveis e a CGA Construtora lançaram o Residencial Best Bueno, um compacto de padrão superior, localizado numa das áreas mais nobres de Goiânia. Na semana do lançamento, o empreendimento teve cerca de 70% de suas unidades comercializadas, o que, segundo Paulo Silas, foi um claro sinal de uma retomada do mercado, que deve se intensificar em 2019. Dados de um recente estudo da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO) certificam essa tendência citada pelo diretor da Sim Engenharia, apontando um crescimento de 26% no número de lançamentos, na comparação entre 2018 e 2017.

 

Com a retomada das vendas já no ano passado, o Paulo Silas enfatiza sua perspectiva de que a economia brasileira e o mercado imobiliário vão melhorar ainda mais. "Nossas vendas cresceram 20%  em 2018 e os distratos foram todos revendidos. Para mim, esse é um claro sinal de que 2019 promete ser ainda melhor", avalia. Em sintonia com essa perspectiva, a Sim Engenharia planeja lançar neste primeiro semestre de 2019 mais um empreendimento residencial, com apartamentos de 115 metros quadrados, com três suítes plenas, no Setor Marista, ao lado da Academia Bodytech. Assim como o Kingdom Park Residence, esse novo projeto é fruto de mais uma parceria, desta vez com CGA Construtora, H3 Participações, Mil Participações e J. Virgílio Imóveis.

Para o segundo semestre, outro lançamento já está programado. Será no Jardim Atlântico, próximo ao Sesc Faiçalville. “Também para este projeto devemos contar com parcerias importantes que ajudarão a elevar o nível de qualidade do nosso empreendimento”, diz Paulo Silas.

 

Incorporadoras buscam novos mercados

 

A crise entre os anos de 2015 e 2017, freou os planos de expansão de muitas empresas. No mercado imobiliário essa tendência não foi diferente. Em 2018, com a melhora dos índices econômicos, construtoras e incorporadoras já começaram a tirar da gaveta projetos que estavam parados.

 

Em Goiás, algumas grandes cidades do interior estão na mira de novos investimentos do mercado imobiliário para 2019, Anápolis é uma delas. O município a 60 quilômetros de Goiânia tem recebido grandes empreendimentos imobiliários que estão modificando a paisagem da cidade, que atualmente é o segundo maior PIB do Estado. Em abril do ano passado, a MRV Engenharia, começou suas operações em Anápolis, anunciando três grandes empreendimentos residenciais, totalizando mais de 660 novas unidades habitacionais lançadas.

 

E já no começo de 2019, a Queiroz Silveira, em parceria com a Atmo Desenvolvimento Imobiliário e a ABL Prime, lança o projeto de um grande complexo imobiliário com foco no atendimento aos serviços de saúde. Conectividade e compartilhamento são as palavras chaves do mixed use que será construído no Centro de Anápolis. O projeto irá atender a um nicho de mercado ainda sem lançamentos na cidade e envolverá investimentos da ordem de R$190 milhões.

 

Confiante na retomada da economia do país, a empresa já traça uma meta bem mais otimistas para os próximos anos. “Em 2018, já com a melhora dos números da economia houve um movimento de ascensão do mercado e conseguimos fazer um lançamento, o Marista Prime, para até 2020, queremos lançar entre dois ou três empreendimentos por ano em Goiânia”, afirma Rogério Queiroz, diretor da Queiroz Silveira.

 

Compactos de alto padrão e espaços compartilhadas são tendência em 2019

 

Os compactos de alto padrão e o compartilhamento de espaços, uma tendência crescente em Goiânia nos últimos anos, deve ser a grande aposta de muitas construtoras e incorporadoras para 2019. Essa pelo menos é a avaliação de Mário Valois, engenheiro civil e diretor da Dinâmica Engenharia, construtora com mais de 35 anos de mercado e que já planeja dois lançamentos para este ano em Goiânia, um no Setor Marista e outro no Bueno.

 

“Para este ano percebo que o mercado está priorizando a localização estratégica e nobre, com unidades de metragens menores. Ao invés de apartamentos com mais de 100 ou 150 m², a tendência atual é os compactos de alto padrão, com compartilhamento de espaços. Em um dos nossos projetos que iremos lançar este ano, planejamos fazer uma sala na área comum que possa servir, por exemplo, para aulas de inglês para os moradores. Também estudamos o compartilhamento de ferramentaria, além de oferecer bicicletários, algo já presente nos nossos últimos empreendimentos. Ou seja, vamos tentar colocar o máximo de espaços que tenham esse viés de compartilhamento”, explica o executivo.

 

Para Valois, apesar da melhora dos índices econômicos, o ano que se encerrou foi de poucos lançamentos no mercado imobiliário, a própria Dinâmica Engenharia, da qual é sócio, apresentou apenas um empreendimento, o Celebrate Vaca Brava, residencial de alto padrão em construção no Setor Bueno e que, dentre seus muitos diferenciais, traz um moderno sistema de segurança. O incorporador diz que viu 2018 como um ano de “precaução”, motivada principalmente pelas incertezas geradas pela disputa eleitoral no País e por episódios que também afetaram a economia, como a greve dos caminhoneiros em maio.

 

Expectativa

 

Mas apesar do período de cautela, o empresário reconhece que 2018 trouxe um bom momento para economia do país e que deve se intensificar ainda mais em 2019.  “Apesar de estarmos motivados para este ano, sabemos que não vai ser de uma hora para a outra, mas estamos certos de que a economia vai melhorar. Aquela precaução que tivemos em 2018 já foi e hoje há um clima de alívio. Todo mundo está acreditando que o novo presidente vai implementar o que prometeu, e com certeza,  os empregos vão voltar e os recursos e a vontade do empresário em lançar novos produtos também virá”, considera.

 

Outra empresa que também programa lançamentos é a Brasal Incorporações.Originária com sede em Brasília e com atuação em Goiânia desde 2011, a Brasal Incorporações é uma das empresas do setor imobiliário que deve voltar a intensificar seus investimentos na capital. A incorporadora já possui dois terrenos com projetos já desenvolvidos e aprovados pela prefeitura para serem apresentados ao público em 2019. Em 2018 foram dois lançamentos e para este ano serão mais dois.



Portal VGV

Portal VGV

Comentários


Próximo evento

Congresso do Mercado Imobiliário do Distrito Federal

O mercado imobiliário pós-retomada econômica

Faltam:

Garanta Aqui

CONFIRA AS EDIÇÕES ANTERIORES

Saiba como foi

BANCA VGV


Adquira guias completos do mercado imobiliário da sua região. Tenha em suas mãos tudo o que precisa para vender mais.


saiba mais

Patrocínio Institucional

NEWSLETTER    RECEBA SEMPRE EM PRIMEIRA MÃO NOSSO CONTEÚDO