Mulheres se destacam no comando das obras

portalvgv 12/04/2012 0

Mulheres no comando das obras

Mulheres participam de eventos e buscam informações

Na hora de reformar ou construir, elas se destacam na compra dos materiais até a coordenação dessa empreitada

Nas lojas da Irmãos Soares, as mulheres representam 70% do público consumidor. Nas filas e nos balcões, é comum registrar a presença delas durante a escolha dos materiais até na hora de negociar a entrega e a forma de pagamento. Como clientes, se mostram exigentes e dispostas a investir mais em busca de qualidade no resultado final.

Mas uma característica em especial tem chamado a atenção dos vendedores e dos trabalhadores da construção civil: o público feminino tem marcado cada vez mais presença no comando e na supervisão das obras. Por motivos diferentes, na hora de reformar ou construir, elas acabam colocando o capacete e indo conferir de perto como está sendo realizado o projeto.

O novo desafio, no entanto, requer sabedoria e disposição para enfrentar o desconhecido. Na relação com os pedreiros e pintores, elas lidam com questões práticas, como a escolha de um novo produto ou a reposição de um estoque, mas também com as questões de gênero. Para eles, nem sempre é tranquilo lidar com mulheres no comando.

É o caso da empresária Iza Ferreira, que reformou a casa onde mora com a família, no setor Sul de Goiânia. Durante oito meses, ela se viu envolvida com a reforma, o estoque de materiais e a equipe responsável por transformar a casa recém adquirida em seu novo lar. “Fizemos uma reforma ampla, mas cansei tanto, que deixei alguns detalhes para resolver este ano”, explica ela, que já está no novo endereço e adiou a colocação de algumas portas. “Meu principal problema foi com a mão de obra. Falta compromisso da parte deles”.

Entre as queixas de Iza estão a assiduidade ao trabalho e a desqualificação para determinadas tarefas. “Muitos deles diziam que faziam bem algo e depois o trabalho precisava ser refeito por outro”, conta ela lembrando do desgaste físico e emocional do período. “Muitas vezes, durante o trabalho, eu precisava correr atrás de um item não previsto e sem o qual a obra ficaria parada”. Mas, mesmo com tanto sacrifício, não se arrepende do desafio assumido e garante que a presença dela fez diferença no resultado. “Ter olhado de perto tornou o projeto mais perto do que eu imaginava e garantiu a qualidade que eu queria para a minha casa”.

Para o arquiteto Rodolfo Naves e Silva, consultor das lojas, as mulheres devem focar no planejamento da obra para conseguir bons resultados. E ter em mãos um bloco onde anotarão todas as demandas de produtos, as datas e os prazos combinados com os prestadores de serviços. Além disso, o olhar diário para o que vem sendo feito também se torna essencial. “Verificar a presença da equipe, a evolução do trabalho, mostra o envolvimento do proprietário e gera um sentimento de responsabilidade na equipe”, sugere.

Confira outras dicas
• Comprando os materiais – Ao definir o tipo de obra que será feita, é hora de calcular com a equipe ou o profissional contratado para o planejamento, um arquiteto ou engenheiro, as quantidades de material. “É bom comprar, inicialmente, só o básico até para evitar transtornos ao estocar galões de tinta e louças, que só serão usados no final da obra”, conclui.

• Conferência – O material comprado, ao ser recebido na obra, também precisa de cuidado especial. É importante ter alguém responsável para receber e verificar essas mercadorias. “Muitas são de alto valor e precisam ser cuidadosamente armazenadas até o uso. Outras o valor não é tão significativo, como por exemplo, o cimento, mas sua estocagem é delicada e exige que seja armazenado em local seco e sobre tablados, pois a umidade do solo pode danificar o produto”, ensina o arquiteto.

• Mão de obra certa para cada coisa – Outra dica importante é a contratação de uma equipe profissional. “Para assentar o piso, é ideal alguém capacitado e que entenda o projeto a ser realizado. Não pode haver dúvidas da forma e local de onde serão assentados. Um mau assentador faz com que tudo que foi investido anteriormente se perca. É necessário fiscalizar a obra sempre para certificar que tudo está correndo conforme o planejado”, explica.

• Supervisão – Para quem não tem tempo ou não conhece nada sobre obras, o melhor é ter um arquiteto ou engenheiro que possa estar ao seu lado na hora de supervisionar a obra ou mesmo ajustar o projeto.

• A hora de comprar o acabamento – É preciso comprar com antecedência de até 30 dias por causa da entrega e da disponibilidade em estoque de produtos específicos. O interessante também de se escolher o material antes de entrar na fase de acabamento é que alguns detalhes podem influenciar e até modificar o projeto novamente. “Uma cuba desejada, por exemplo, pode não ficar proporcional ao espaço projetado; e assim, podem ser feitas alterações no espaço. Modificar enquanto o projeto está no papel é muito melhor, que depois que a parede esta construída, o pedreiro dificilmente aceita fazer modificações. Nem a simpatia feminina vence o que está combinado”.

Comente esta notícia »